2005 ~ 2008

Quão dramatica se pode ser aos 15 anos?
Muito. Demais.

Estava olhando meu diário de 2005, ano em que tudo aconteceu em minha vida, e, sinceramente, adorei. Todas as músicas que tem escrito lá, todos os relatos, os paqueras que mudavam quase todo mês (?), as preocupações que é claro que hoje parecem ridículas. Festinhas, desenhos, cinemas, melhores amizades desfeitas e refeitas, o primeiro namorado... Então deixo aqui o pedido: leiam seus diários antigos. E continuem escrevendo.

Ok, aí vai uma música que certamente marcou meus 15 anos (é sério), e, em seguida, um trecho, que tem tudo a ver com a música também:





"(...) Eu já disse como amo Ginger, certo? Repito: eu amo Ginger. E cada segundo a mais que eu assisto eu tenho mais certeza. Nesse episódio, o Darren disse "eu sei que você não foi destinada a ficar nessa cidade, Ginger, você merece algo maior. Só espero que não esqueça de mim quando conseguir". Não é... lindo? Eu acho que gostaria de ser assim. Destinada a algo maior... Acho que isso é o que todos querem. Mas será que não é esse o me destino? Com o livro e tudo mais... Mil coisas aconteceram em 15 dias, não posso ter noção do que acontecerá daqui a uns anos. Enquanto isso, eu continuo aqui em Fortaleza, apaixonada (completamente, absolutamente) por um menino que não liga muito para isso, indo mal em matemática, monitora de inglês, aspirante a escritora, amante de Ginger, sonhadora e vivendo, apesar de tudo."

Ai ai ;~)
Ao contrário de antes, não acontece mais um milhão de coisas em 15 dias. E não era exagero meu, lendo as páginas passadas, realmente, minha vida pacata de estudante do segundo ano deu uma reviravolta digna de novelas em pouquíssimos dias, enquanto hoje o máximo de emoção que acontece é uma saída semanal para comer comida chinesa. É claro que nos 3 anos que me separam da Gabriela Debutante (hahaha), eu mudei um bocado, mas acho que no fundo, eu não mudei nada. Afinal, eu continuo aqui em Fortaleza (mas já conheci bem mais lugares), apaixonada (completamente, absolutamente) por um menino que, graças a deus, liga sim para isso (finalmente!), estaria indo muitíssimo mal em matemática se tivesse essa matéria, mas felizmente faço faculdade de moda e tal coisa como equações são banidas do meu bloco, nunca fui buscar meu diploma de monitora, continuo aspirante a escritora, amante de Ginger, sonhadora e vivendo, apesar de tudo.

E não é, que, no fim das contas, eu sou feliz? Como é bom crescer!

0 comentários:

Postar um comentário


25 anos. Mora no Rio de Janeiro, é carioca de alma, mas cearense de coração. É designer e está tentando se encontrar nesse mundo. Sou casada com meu melhor amigo, o Marcelo Bernardo, e mãe da Dindi the Boston.

Gosto de ler, de dormir de rede, de inspirações repentinas e de petit gateau. Mas o mundo seria muito melhor sem aliche gente que fura fila. Ah, e de vez em quando eu desenho.

Autora


Welcome

Tecnologia do Blogger.

Procura algo?

Arquivo do blog






Esse blog está vestido com as roupas e as armas de Jorge, porque ninguém há de copiar esses textos e ilustrações sem dar o devido crédito.