Uma nova perspectiva

Por muitos e muitos anos eu fui abençoada com o que se chama de genética. Por mais que eu comesse, comesse e comesse, eu continuava magra, esquálida. Quer dizer, nunca fui uma tábua, pois sempre tive um pouco de corpo, mas sempre tive a barriga seca e os braços sem uma grama de gordura. Tudo começou a mudar quando, aos 16 anos, eu aprendi a cozinhar. Sempre fui amante de comida (boa), e quando passei a perceber que se misturasse molho de tomate, cebola refogada, tomates cortados e orégano a um simples ovo, já teria uma enorme melhora no meu jantar.

Quatro anos e muitas receitas depois, me perco num penne ao molho de brócolis + gorgonzola, suspiro ao pensar no meu risoto e babo só de imaginar que tem um pedaço de queijo Gouda na geladeira esperando para ser usado. Naturalmente que a minha barriga tanquinho se perdeu nesse meio tempo, e embora não seja classificada como gorda, minhas curvas evoluiram MUITO. Outra coisa que é minha perdição são os doces. É impressão minha ou a globalização favoreceu os açucólotras? (isso existe?) Porque tipo, quando eu era pequena, o máximo de sobremesa que eu via era brigadeiro, pavê e charlote. Não tinha tal coisa chamada brownie, ou petit gateau (que, se existisse, hoje todos estariam entrando no andpetitgateau.blogspot). Hoje sou obcecada, fato.

Eu não tinha notado esse probleminha até:
(1) Minhas calças 38 nem sonharem em entrar;
(2) Um belo dia que resolvi ir para a praia com uns amigos do meu namorado:

Lá, uma amiga dele, que não tem UMA GRAMA de gordura, estava choramingando:
- Ah, eu tenho uma queda por doces, é isso que me lasca.
- Ah, meu Deus, eu também - eu disse, me sentindo um pouco menos deslocada.
- É sério, eu não posso comer nada salgado, que logo em seguida já bate aquela ânsia! Primeiro é uma barrinha de cereal, depois uma pêra, e eu não me contenho se não comer uma maçã...
- ...

E (3), quando eu provava uma calça jeans nova, insegura, pedindo opinião para minha mãe:
- Mas ficou bom?
- Está ótimo...
- Mas é que... Não sei... Não está marcando demais o meu quadril? Não estou muito larga?
- Não, que nada.
- É que eu me olho no espelho e me acho tão gorda. Antes com a roupa certa dava até pra disfarçar, será que se eu colocar um salto, sei lá, alonga... Disfarça alguma coisa?

Aí, meu pai, que não participava da conversa, riu e disse:
- Bom, sua bunda já está indisfarçável.

Então, pela primeira vez nos meus vinte anos, chego no momento crucial da vida de toda mulher: a dieta. Já tentei começar mil vezes e estragar tudo, mas hoje é o dia. Segunda-feira é O dia oficial de começar uma dieta.

Adeus coca-cola em dia de semana, adeus petit gateau, adeus prato gigante de ravioli. Olá, sopa (eca), saladas (ai) e pães integrais. Olá nova tag. Olá suquinho de laranja, barra de cereal e maçã de sobremesa e matéria na capa da revista Leitora contando a minha história de vida. Beijos. Morri.
  1. hahahahah
    Muito bom! mas não se sinta só no mundo! Petit Gateau realmente nunca deveria ter sido inventado, pelo bem dos nossos culotes! ahahah
    Mas nessa mesma segunda q vc começou sua dieta, eu finalmente começei minha academia!!! acho q dessa vez é pra valer! ;P
    tenha fé! e nunca mais saia com esse tipo de menina, magra e q chora por ser gorda.. e pior, q tem como perdição uma maçã?!
    ninguém merece!!!
    Petit Gateau nela!!! ahahah

    ResponderExcluir
  2. hahaha, bem vinda ao meu mundo amigaaa!
    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    espero que vc tenha mais sucesso nas dietas que eu!
    força!!
    =D

    beeeijão!

    ResponderExcluir
  3. Já tentei várias vezes, nunca deu certo (não tô gorando, viu! espero que você tenha mais sorte que eu!) e eu continuo com a minha pancinha permanente. Tenso...

    ResponderExcluir
  4. hahaha eu juro que achei divertido ler esse post porque deve ter uns três meses que minha mãe tem me dito que estou 'encorpando' pra não falar que estou ficando larga. hahahaha

    Ok, te entendo em todas as vírgulas e morro de saudades da minha barriga tanquinho idem!

    aiai, mas nada que uma dieta não resolva, não é???
    adoro tragédias engraçadas !

    será que é um mal dos 20 ? porque foi só fazer 20 anos!

    :***

    ResponderExcluir
  5. Isso é mal dos 15 anos.
    Só que a gente só começa a notar que a coisa ficou preta depois dos 20. Fato.

    ResponderExcluir
  6. kkkkkkkkkkkkk
    Que isso?! Não é pra tanto! (mentira!eu passo por isso e sei que é motivo de desespero). Isso surgiu comigo na chamada "Fase de Crescimento" (sim, para os lados! ^^)

    Não que eu seja capaz de rebaixar um carro com a minha gordura, mas se não posso usar biquini, as roupas não entram e pior... algumas marcam... É motivo de desespero para mim!

    ResponderExcluir
  7. estamos todas no mesmo barco, queridas! uni-vos! heheh :DD

    ResponderExcluir
  8. É, é a vida. Mas uma coisa é certa: academia ajuda bastante.

    Saudadess ;*

    ResponderExcluir
  9. primeiramente, adorei seus textos (: sou nova e tava procurando uns blogs pra ler e achei o teu. resolvi comentar nesse post porque, meu deus, como eu me identifiquei! eu também sou completamente vulnerável à comidas (especialmente doces,um petit gateau então haha). então, nestas condições, acho que nos sobra conformar-mos com o que somos ( e que a maioria das mulheres é hahahaha ) e que não nos encaixamos no perfil modelo. maaaaas, espero que ainda consiga estar firme e forte na sua dieta, mas acredite, já tentei. não dá pra resistir :/ boa sorte, e depois, se puder, passa no meu blog!

    ResponderExcluir
  10. Saí do Adlorien e vou escrever agora pela minha conta do gmail. Caaaaaraaa... depois dos 20 tudo se resume em acúmulo de células adiposas. Parece que é so pra isso que o nosso organismo trabalha. Eu já tentei diversas dietas, sem resultados eficientes e agora vou me acabar na natação pra ver se dou jeito nesses DEZ FUCKIN'QUILOS a mais que ganhei depois do meu acidente. Vida de merda.

    ResponderExcluir


25 anos. Mora no Rio de Janeiro, é carioca de alma, mas cearense de coração. É designer e está tentando se encontrar nesse mundo. Sou casada com meu melhor amigo, o Marcelo Bernardo, e mãe da Dindi the Boston.

Gosto de ler, de dormir de rede, de inspirações repentinas e de petit gateau. Mas o mundo seria muito melhor sem aliche gente que fura fila. Ah, e de vez em quando eu desenho.

Autora


Welcome

Tecnologia do Blogger.

Procura algo?






Esse blog está vestido com as roupas e as armas de Jorge, porque ninguém há de copiar esses textos e ilustrações sem dar o devido crédito.