Aleatoriedades, parte mil

Sinto que cada vez mais meus posts serão aleatórios. Minha mente funciona de uma forma muito aleatória, primordialmente, então é isso aí. Essa é a minha vida, esse é o meu blog. Como eu tinha dito anteriormente, estou muito atarefada com as coisas da faculdade. Já estou terminando o meu 7º semestre na faculdade de Moda, e tenho uma série de trabalhos (uns chatos, outros só trabalhosos mesmo) pra me preocupar... Quero férias! Urgente!

Esses dias eu recebi a câmera polaroid que eu ganhei num sorteio da Cakies (wo-hoooo!)! Passei uma noite babando em cima dela, e tive que procurar no youtube um vídeo que ensinasse a colocar o filme (hahaha). Então tirei minha primeira foto!



(Mas preciso poupar, porque o filme só vem com 10 fotos, e uma caixinha de filme nova custa uns 100 reais no Mercado Livre)

Tirei, é claro, do meu Tatau.
E estou pensando em como irei distribuir as 9 fotos restantes... Hm...

Estou delirando com esse feriadão há dias, porque no feriado passado eu tinha coisas a fazer. Tudo bem que sábado tem aula, e domingo tem - argh - eleição. Nunca expus a minha opinião sobre esse assunto aqui, mas concordo cegamente que as eleições não deveriam ser obrigatórias. Assim, só quem votaria seriam as pessoas que realmente se importam, como a Luiza já disse. Isso nos pouparia de andar por Fortaleza e ver pessoas que você sabe que não tem nada na cabeça, andando por aí com adesivos de #serranaomamae #dilmanaopapai. Enfim. Eu não tenho maturidade o suficiente para escolher o novo presidente do Brasil, e por isso não fico por aí repetindo toda bobagem que recebo por emails. E nem você deveria.

Massss, voltando ao FERIADÃO! Vou para a minha casa de praia na Barra-Nova (onde?) e vai ser uma chance ótima de fazer aquela programação que eu tanto prezo: comer, dormir e amar. E ler também, estou lendo 300 coisas simultaneamente, e acabo que não estou com saco mais para nada.

No momento, estou lendo:


A biografia do John Lennon eu li até a página 374 (menos da metade do livro, por sinal) num instante, mas agora a história está se arrastando. Vou dar um tempo pra continuar a ler depois, cansay. Também comecei a ler Emma, da Jane Austen, mas estava lendo tão cansada que não notei que tinha mais de duas pessoas naqueles diálogos infinitos do começo... Preciso dar um tempo, também. Comecei a ler Quando as Bruxas Viajam, e de fato é hilário, mas também... li o primeiro capítulo e encostei (sinto que esse será o escolhido do feriado).

E também estou (re)lendo meus mangás do Karekano :~
Se tem uma coisa que me deixa feliz é esse mangá, fotos de cachorro e fotos de lontras e seus filhotes. Petit gateau também me deixa feliz, mas infelizmente nunca mais nos encontramos.


E é isso.
Aleatóriedades!
Se você gosta de mangá de mulherzinha e nunca leu Karekano, alô, o que você está pensando? Mas enfim, sinto que é melhor terminar o post enquanto há tempo, enquanto alguém ainda está lendo. Em breve, eu juro, vou conseguir editar o vídeo! E também terão outros posts e novidades.

É sério!
Beijo, e para finalizar, a carinha :D
:D

(outra coisa completamente nada a ver: gente, assisti ontem na televisão o filme de 1994 do Street Fighter. oqueéaquelefilme? aliás, esses dias passei por uma enxurrada de filmes ruins, como os Irmãos Id & Ota - sério - e o Monstro de Pedra. enfim. É por isso que eu não assisto mais tanta tv)

Criando Moda - Parte I

Eu sempre tive vontade de fazer um post como esse aqui, mas por falta de timing nunca deu certo. Como a maioria de vocês sabe, eu estou me formando em Estilismo e Moda na UFC, e praticamente todo semestre nós temos que exercitar a nossa criatividade criando coleções. A grande maioria comercial (ou seja: prontas para o uso!), e praticamente 100% não saem do papel. Esse semestre, entretanto, por iniciativa de uma professora formidável, a Marta Sorélia, nós vamos promover um desfile. Cada aluno vai confeccionar dois looks inteiros de uma coleção Conceitual!

O primeiro desafio foi, justamente, a tal da coleção ser conceitual. Eu morro de dificuldade de fazer isso, porque ponho os meus gostos em primeiro lugar sempre (isso eu usaria, isso eu acho brega, credo, essas coisas). Dessa vez era necessário abstrair... E por isso eu queria um tema que já fosse abstrato por si só. Busquei inspiração então no universo da literatura fantástica, que é o meu gênero de literatura favorito, no qual a inspiração viesse pura e sem as formas predestinadas. Se eu fosse fazer uma coleção hippie, teria a maior dificuldade para fugir da proposta das roupas hippies; então nada mais certo para mim que fazer baseado em algo que se formasse somente na minha imaginação ou nos meus sonhos.

O tema escolhido então foi, a minha segunda série favorita, As Fronteiras do Universo. (a primeira, obviamente, é Harry Potter). Mas a verdade verdadeira é que me foquei somente na Bússola de Ouro, mas As Fronteiras do Universo é um nome muito mais ryco.



O processo criativo começou com a elaboração de um painel de inspirações, e com a acumulação de imagens que me lembrassem do tema, ou que me inspirassem. Todo mundo sabe o pressuposto que no mundo, nada se cria, tudo se copia; então o mais natural para exercitar o cérebro e a criatividade é ver o que está sendo feito para então ter mais liberdade de criar.


Fashionary - O Moleskine dos Estilistas

A partir daí, comecei a fazer os chamados rafis, que são rabiscos feitos em segundos só pra tentar passar uma idéia. Esses esboços vão evoluindo, evoluindo, até chegar em algo que valha a pena ser transformado em croqui (que são os desenhos de moda propriamente ditos). Eram 12 looks, que eu dividi em 4 famílias (que só quem viu o filme/leu o livro vai entender): a primeira representando a viagem ao Norte, a segunda mostrando os Ursos de Armadura, a terceira mostrando pessoas que transitam entre os mundos e a última (só para encher linguiça, porque eu não aguentava mais criar) representando as Bruxas.

Eu desenho tudo muito rapidamente com um lápis super claro (2H), sem me apegar aos possíveis erros. A borracha sempre será uma inimiga nos momentos em que você precisa ser rápido, e somente passar uma idéia. Então depois eu vou com uma lapiseira com o grafite escuro (eu uso uma lapiseira 0.5, grafite 2B) e faço alguns detalhes. Como já tenho muita confiança no meu traço, não perco o meu tempo fazendo alguns traçados com a lapiseira, e cubro direto com a unipin (a minha favorita é a 0.05 que eu quebrei a ponta, e que agora responde à pressão). Essa minha habilidade foi treinada durante anos com a abolição da borracha: meu traço é mais confiante, depois de tanto treino. Eu só uso a lapiseira para desenhar, por exemplo, mãos, sapatos, essas coisas.



Desenho finalizado, e então scaneado. Não vou demorar dizendo que o meu SCANER ME ODEIA, e faz com que algumas imagens minhas saiam ou preto com turquesa ou na diagonal. Eu perco o meu tempo tirando o turquesa das imagens, e limpando brevemente, então coloro tudo no photoshop.

(Eu fiz um vídeo tanto desenhando como mostrando como eu faço a coloração das imagens no photoshop. Se alguém achar interessante ver como é, posto depois como Criando Moda - Parte I.II)

Os looks prontos, é só criar a ambientação do trabalho, fazendo uma montagem. Eu não tinha gostado muito desse fundo que fiz, porque sinceramente o fiz em uns 2 minutos, mas acabei me afeiçoando a ele. O seu esforço sempre é recompensado com um trabalho bonito, e mesmo que você não tire 10, você fica satisfeito por ter feito um trabalho legal.



Nesse, eu tentei me esforçar ao máximo para sair do meu lugar comum e tentar algo novo: sempre faço fundos brancos e com detalhes no canto da folha (tipo esse layout), minhas roupas sempre são meigas e doces, essas coisas. Porque a faculdade serve justamente para você melhorar as suas habilidades, se desafiar a melhorar cada vez mais a cada semestre. Para finalizar o portfolio, o imprimi em papel Aspen (que é perolado), num tamanho um pouco menor que 1/3 de uma folha A3. Para a capa, comprei um papel cheio de GLYTTER preto, que super simboliza o universo.

Trabalho feito, impresso, apresentado e entregue. Agora vamos para a parte II: mandar confeccionar dois looks. :D



Escolhi dois desses 3 acima, que são da família dos Viajantes do Universo. Quais são? Como eles ficarão ao vivo? Essas e outras perguntas serão respondidas na redação a seguir #interna na Parte II dessa jornada.

25 anos. Mora no Rio de Janeiro, é carioca de alma, mas cearense de coração. É designer e está tentando se encontrar nesse mundo. Sou casada com meu melhor amigo, o Marcelo Bernardo, e mãe da Dindi the Boston.

Gosto de ler, de dormir de rede, de inspirações repentinas e de petit gateau. Mas o mundo seria muito melhor sem aliche gente que fura fila. Ah, e de vez em quando eu desenho.

Autora


Welcome

Tecnologia do Blogger.

Procura algo?






Esse blog está vestido com as roupas e as armas de Jorge, porque ninguém há de copiar esses textos e ilustrações sem dar o devido crédito.