Stop calling, stop calling, I don't wanna talk anymore



Pra quê tantos telefones?


Expectativa:
O telefone toca, e eu estou sozinha em casa. Prontamente me levanto para atendê-lo:

Opção 1: é para mim, eu converso por horas com amigos que moram longe, rimos de piadas antigas e lembranças e marcamos de nos encontrar o mais rápido possível.

Opção 2:
Pessoa: Alô, é do consultório do Dr. César?
Eu: Não.
Pessoa: Tudo bem, desculpe, tenha um bom dia.

Realidade:
O telefone toca. Sinto uma onda de ódio crescendo dentro do meu peito, e espero alguns segundos pra ver se não é ilusão, se o telefone está tocando mesmo. Verifico o horário (na hora do almoço minha mãe liga pra dizer que não vai poder vir almoçar, de noite é o meu avô) e me certifico que sim, não é pra mim. Enrolo pra ver se a pessoa desiste, e então vencida pelo cansaço, vou atender.

Opção 1: telemarketing para os meus pais.

Opção 2:
Pessoa: Quem tá falando?
Eu: ?
Pessoa: É do consultório?
Eu: Não...
Pessoa: Consultório não, clínica. Do psiquiatra.
Eu: Hm, na verdade o Dr. César...
Pessoa: Você pode marcar um horário?
Eu: Ele não atende mais aqui.
Pessoa: Qual o número que ele está atendendo agora?
Eu: Ele não atende mais em Fortaleza, só no interior.
Pessoa: Por que?
Eu: ????
Pessoa: Minha filha, eu vim do interior. Eu marquei uma viagem pra me consultar com o Dr. César, eu estou precisando de uns remédios, então eu preciso falar com ele, porque eu preciso dos remédios, tá entendendo?
Eu: zzzz
Pessoa: Você sabe onde eu posso falar com ele?
Eu: Minha senhora, ele só atende no interior agora.
Pessoa: Que interior?
Eu respondo os interiores, sem a menor firmeza, porque meu pai muda as cidades em que trabalha com certa frequencia e eu demoro para ser avisada, porque afinal isso DEFINITIVAMENTE não me diz respeito. E outra coisa, se a pessoa veio do interior para se consultar na capital, de que adianta? E o mais importante: quem é que viaja para se consultar sem ter MARCADO ANTES? Sem ter se certificado que o número que diz Dr. César na agenda é um número ERRADO e ele não está atendendo? Muuuuuuita gente, pela quantidade de ligações do gênero que eu atendo.
Pessoa: Tudo bem, você tem outro médico pra me indicar?
Eu: Olha, tenho não.

Fim da ligação: paciente psiquiátrico desliga o telefone irritado porque eu não sei dar informação e eu fico puta por ter perdido minutos preciosos da minha tarde.

Sério, muitas coisas me irritam, mas ultimamente telefone tem me irritado em especial. Primeiro porque depois de dois meses de férias, quase três, eu recebi assim, duas ligações (no máximo) no telefone fixo, e todas as duas de atendentes confirmando as minhas futuras consultas. E o pior é que as vezes meu pai ESTÁ em casa, e deixa o telefone tocando. Aí se eu decidir que não vou atender, porque, afinal, NÃO É PRA MIM, ele fica puto porque o telefone está tocando e ninguém (ele incluso) não atende.

Então quando o telefone toca durante a tarde, eu já atendo com aquele desgosto na voz e amargura. Quando a pessoa pergunta se é do Bradesco, então, preciso de muito autocontrole pra não responder alguma coisa estúpida.

Isso é que são férias.
(Mas, muito felizmente, vou viajar semana que vem mais uma vez para Buenos Aires :) )

Uma Semana de Desenhos

Em Janeiro, durante as minhas tardes que oscilavam entre o ócio total e absoluto e a autoescola, eu comecei a pensar: poxa vida, eu poderia estar desenhando. Eu poderia fazer algum desenho que não vá ser usado em nada, apenas pelo prazer de desenhar. Poxa vida, eu poderia fazer um desenho por dia! Mas, estávamos em Janeiro, e assim como dieta, não dá pra começar projetos em quintas. Ou é numa segunda-feira, ou no começo do mês. Pronto.

Então, com a aproximação de Fevereiro, comecei a planejar. Vou fazer um desenho por dia. Um desenho por dia. E comecei a colocar regras:
- Tenho que postá-los no flickr para não enganar a mim mesma (afinal, sou mestra em inventar mentiras e acreditar nelas), porque terei que postar uma por dia, e a data vai estar lá, e eu não irei me enganar.
- O desenho tem que estar razoavelmente finalizado. Desenho a lápis só se for O Desenho A Lápis, mas eu posso me dar ao luxo de finalizar rabiscos antigos e aleatórios perdidos em cadernos, que poderiam ter o potencial de virar um desenho legal.

Logo no primeiro dia, eu fui deixar pra fazer o desenho antes de dormir. Já era oficialmente dia 2, mas peraí, era o primeiro dia! No segundo desenho eu fiz logo de manhã, e fui pegando a manha. Tinha pensado: no fim de semana vou fazer algo mais elaborado, porque tenho mais tempo livre - o que é mentira, tendo em vista que ainda estou de férias, então tenho tempo livre praticamente todos os dias. E, depois de muito trabalho, depois de passar alguns minutos olhando pro papel e pensando "mas que droga, o que é que eu vou fazer?", eu consegui passar da primeira semana.

Oh, yes.
Com vocês, os sete primeiros desenhos:



Acompanhe pelo Flickr, que todo dia vai ter um desenho novo. E este album há de ter 28 desenhos no fim do mês!

Além dessa promessa, também tinha feito outras metas de férias. Uma delas era baixar uma série pra assistir desde o começo (odeio baixar séries, quem sabe explico isso em outro post), e cumpri, baixando os primeiros episódios de Criminal Minds (que eu acompanho, mas não vi desde o começo). Outra era fazer bolos, que eu também estou cumprindo, e adorando. Outra era arrumar o quarto inteiro.

E vocês, também fazem metas de períodos curtos? Eu tenho as metas do ano, mas sempre rolam essas metas no meio termo, como "não tomar refrigerante em dia de semana" e afins. Mas bom, nem todas as metas a gente alcança. Meu quarto de cabeça para baixo é a prova disso.

25 anos. Mora no Rio de Janeiro, é carioca de alma, mas cearense de coração. É designer e está tentando se encontrar nesse mundo. Sou casada com meu melhor amigo, o Marcelo Bernardo, e mãe da Dindi the Boston.

Gosto de ler, de dormir de rede, de inspirações repentinas e de petit gateau. Mas o mundo seria muito melhor sem aliche gente que fura fila. Ah, e de vez em quando eu desenho.

Autora


Welcome

Tecnologia do Blogger.

Procura algo?






Esse blog está vestido com as roupas e as armas de Jorge, porque ninguém há de copiar esses textos e ilustrações sem dar o devido crédito.