Meu Guia de Buenos Aires - Parte 2


City Tour

Assim que você chega numa cidade, é claro que você quer fazer um city tour. Certo? Bom, eu quis, e recomendo. O Gobierno da Ciudad de Buenos Aires tem um autobus (ônibus, no caso) turístico. Funciona assim: você compra os tickets, e tem direito a utilizá-los durante 24h, ou 48h (caso você compre o pacote maior). São 12 pontos especiais na cidade, que o ônibus passa de meia em meia hora. O ponto de saída é na Florida (Florida y Av. Roque S. Peña), que também é onde você compra o ticket. Mais central/turístico, impossível.

Você pode descer onde quiser (eles te dão um mapinha), mas eu sugiro descer nos lugares em que é complicado ir de metrô, ou muito longe para ir de táxi. La Boca, onde tem o Caminito e um restaurante italiano inesquecível (em breve, na parte 3); Recoleta, para conhecer o cemitério, o Shopping Buenos Aires Design (que é vizinho, por sinal); Puerto Madero... Enfim, cabe a você.

Só não dá pra descer na Plaza Itália, onde tem o Zoológico, o Jardim Botânico e o Jardim Japonês, porque esse é um programa para um outro dia inteiro.


Florida

É o passeio mais tradicional turistico, andar pela Florida olhando os homens belissimos (perdão, Marcelo) indo trabalhar de terno, olhar as lojas de couro, andar até a Galerias Pacífico e tomar um café na Starbucks. Eu não recomendo (mesmo) a Florida para compras: tudo lá é caro, e se tem escrito que é um outlet, pode ver que é conversa fiada. É só pra andar mesmo!

E dar uma paradinha básica das Farmacity da vida, na Zara, na lojinha da MAC... E tal.


Zoológico

Você não viveu até ir ao Zoológico, comprar um balde de ração e alimentar os animais na boca. É muito bom! Eu pareço ter 5 anos em todas as minhas fotos, porque estou tão feliz por estar dando comida aos cervos! Se você não gosta da perspectiva de fazer carinho na cabeça de veados-bebê, e alimentar macaquinhos e antilocabras... Coisa mais linda! Ahhh! AHHH!


Por mim eu ia todo mês naquele zoológico. São os $ 29,50 mais bem gastos!
Mas voltando ao passeio em si: o zoológico é enorme, você anda horrores. Tem uma quantidade boa de especies, como tigres siberianos, ursos, leões brancos... E até um urso polar, que dá meio pena, porque é muito quente e o coitado sempre está tão magrinho. Eu gosto muito de ver essas coisas, muito mesmo, então deve ser por isso que eu amo tanto.

Ah! E também tem um aquário, com pinguinzinhos e leões marinhos! Você paga por fora (mas vale a pena também; tá no inferno, abraça o diabo) para ver o show dos leões marinhos (lobos marinos, como eles chamam), e é muito divertido! Eu chorei de rir, haha. Mas sou muito fraca pra essas coisas.

Só tem um defeito fatal, e por favor, Gobierno da Ciudad de Buenos Aires, Direção do Zoo Buenos Aires, resolvam o mais rápido possível.

Não tem uma lontrinha sequer!

todoschora porque não tem lontrismo

Dicas: se estiver fazendo sol, passe protetor solar. Fiquei com as costas queimadas, com a marca do meu vestido, a marca da bolsa e a marca do óculos de sol. Outra dica é comprar salgadinhos, biscoitos e afins antes de ir e guardar na mochila. O tempo lá passa voando (passamos quase cinco horas por lá!), e o almoço é carissimo e péssimo. Um cachorro quente só o pão e a salsicha (sem MAIS NADA) chega a ser $30! Compre doritos e seja feliz tomando pepsi.

Ah.
Não vá ao Jardim Botânico, mesmo sendo perto. É melhor ir em algum parque, alguns dos milhares de parques que tem por lá, porque o Jardim é só um parque fechado. Passei cinco minutos descansando e parti para uma das melhores refeições da minha vida.


Cemitério da Recoleta
Não achei muita graça. As "celebridades" enterradas por lá não nos dizem respeito (são só políticos argentinos e coisas do gênero)... É bonito, diferente, mas é meio (muito) mórbido. Tem caixões e caixões por lá, e embora vários túmulos sejam muito bonitos... É meio bizarro. Vale ir, mas pois é. Não é algo que eu anseie voltar. Carrying on.

Jardim Japonês
Que lugar lindo!



Ao contrário do Jardim Botânico, esse vale demais a ida. Lindo de verdade, super calmo. Um lugar agradabilissimo para passar a tarde, ler um pouco, relaxar e namorar. Vale a pena conhecer, cruzar as pontes e ficar sentada em algum banquinho só olhando a beleza.

E também vale ir na hora do almoço para comer o Gyoza mais inesquecível do mundo! E o melhor, super tradicional.


Feria de San Telmo

Para quem é antiguidades-freak que nem eu, é o paraíso. Meu pai tem a cultura das coisas antigas e preciosas, que passou para mim: me derreto perto de antiguidades, quero tudo! A feira acontece aos domingos, na plaza Dorrego, mas se estende pela Defensa. É o lugar ideal para comprar óculos antigos (eu coleciono, sabiam? Tenho bem uns... hm... er.. 25? 30?) e outros acessórios.

Sobre os preços, é a mesma lógica das feiras de antiguidades em todos os lugares. Se numa barraca vende somente telefones antigos, de todas as sortes, os telefones vão ser mais caros. Se numa barraca vende uma boneca velha, latas enferrujadas, óculos sem perna e um telefone encostado, esse telefone será bem mais barato. É preciso garimpar e ter muita, muita paciência.


Eu amo feiras de antiguidade para comprar quadrinhos, mas não aconteceu dessa vez. É muito bom para encontrar colares, broches e pingentes fofos (que eu também coleciono... opa), e objetos de decoração. Outras coisas que aprendi com os anos (cof cof cof) e com a convivência do meu pai é que, em casos de feiras de antiguidade, o impulso deve falar mais alto. Você dá voz a sua razão e se arrepende amargamente, porque nunca mais vai conseguir encontrar o que perdeu... Pechinche até chorar com os vendedores e compre! Peças antigas são tudo de bom :D

Obs: devia ter comprado uma máquina antiga que vinha numa bolsa à tiracolo de couro que era muito linda. Só pela bolsa já valia a pena! Parecia com aquela da Kate Spade, e era só $100... Ou seja, menos que cinquenta reais. Por uma bolsa linda e uma câmera que ficaria linda como decoração. Enfim.


Outlets

Um passeio super válido, procurado por 10 em cada 10 brasileiros que vão para Buenos Aires. Os outlets ficam nas proximidades da Aguirre com Gurruchaga, e alguns estão na Córdoba (como o outlet da Complot, uma das minhas lojas porteñas favoritas). Evite ir nos fins de semana, que, por algum motivo (já que quem está lá está de férias, né), está lotado de brasileiros se estapeando por uma camisa lacoste tamanho 5.


É o tipo de passeio para ir no ultimo dia de viagem, com o resto dos pesos, e acabar todos por lá mesmo! Hahah! Dessa vez, eu tive a chance de ir duas vezes (uma logo no comecinho da viagem, com a minha mãe, e outra no último dia, com o Marcelo), que é o ideal. Ideal porque você tem a chance de se arrepender de não ter comprado tal coisa e comprá-la quando voltar!

Arrematei duas sandálias numa loja que eu já tinha comprado (a Viamo, que fica perto da Via Uno, mas que felizmente não são a mesma), e as duas saíram por muito menos que cem reais. Alô, uma havaiana com glitter e penduricalhos custa cinquenta reis.

Só preste atenção na qualidade das roupas, porque às vezes o barato sai caro. Evite as roupas rasgadas e furadas, mas se forem muito baratas, baratas MESMO (tipo $10! DEZ PESOS, não paga nem a costura), veja se não tem um conserto! Haha! Eu comprei um vestido com dois rasgos, remendei facilmente na costureira e ele é super um vestido coringa.

Guias com a localização das lojas tem muitos, muitos mesmo no google. Eu sou partidaria de ir para lá e entrar nas lojas cujas vitrines agradem, mas com um pouco de informação! Então procurem antes de ir. As minhas lojas favoritas falarei numa parte aí desse guia :D


Museu dos Beatles

Rodolfo Vasquez tem a maior coleção dos Beatles da América Latina, que vão desde chicletes Beatle a cheques assinados por eles. Não é um museu muito grande, apenas uma exposição da coleção do cara... que é enorme, mas só consegue encher uma sala. Mesmo assim, é muito divertido ir olhar tudo, tirar fotos. Do lado de fora do Museu, funciona o Cavern Buenos Aires, e acontecem ocasionalmente show cover dos Beatles.

O Museu fica num shopping ao ar livre escondido no calor infernal da Av. Corrientes, o Paseo La Plaza, que por si só já é um lugar bem agradável. Vale a ida para conhecer o Museu e passar um tempo nos barezinhos ao ar livre :)


Tango

Quem vai pra Argentina, geralmente quer assistir um Tango. É que nem vir ao Brasil e não ver um Samba. Não comer uma feijoada. Enfim.

Em vários e vários lugares, a dica é a mesma: não pague (caro) para ver um tango, quando os argentinos dançam de graça na rua. O que é verdade: eles dançam, os argentinos que estão em volta cantam as músicas do Sr. Gardel, fazem cara de sofrimento (o que eu adoro, porque depois de tantos filmes de dança assistidos, o que fica é que dançar não é só decorar os passos... As dançarinas de tango SOFREM, sofrem mesmo. Parece que vão morrer ali caidas no chão agora mesmo de tanta dor de cotovelo) e se enlaçam. É lindo.

O que eu ouvi falar é que uma amiga minha foi nesses shows de tango hollywoodianos, mas que demorava mil horas e a comida era ruim. Do gênero que você fica batendo palma implorando para que acabe, e as pessoas continuam. Não sei se é sempre assim, hahha.

Eu fui no tango do Café Tortoni, que vale demais a visita por si só. Você vai antes e garante os seus ingressos, e retorna à noite para assistir ao show. É muito bom para quem gosta de ver danças, e teve alguns momentos muito bons e divertidos. E o melhor: o chocolate quente de lá, com churros, é o melhor chocolate que eu já tomei.

--------

Ufa!
Ficou gigantesco! Espero que vocês tenham conseguido ler até aqui, mas é porque tem muuita coisa para falar sobre Buenos Aires... :) Queria ter postado antes, mas estive sem computador (aliás, ele está numa oscilação horrível), e acho que vou dar um intervalo com posts 'normais' antes de postar o resto.

E o demônio do TCC começa a me perseguir... Por favor, caro leitor estudante: se você estiver com disponibilidade, por favor, preencha esse questionário! É muito importante para o meu trabalho... Obrigada :D

Ah, sim: as fotos de Santelmo são todas do google, porque nesse dia não tirei nenhuma foto (?). Se você é o dono delas, pode avisar que eu ponho os créditos :)

----------

Endereços:
City tour: Av. Roque Saenz Peña, 846 (com Av. Florida)
Zoológico: Na Av. Gral Las Heras, na Plaza Italia
Cemitério Recoleta: Junín 1760, em frente à praça Intendente Alvear
Jardim Japonês: Avenida Figueroa Alcorta / Avenida Casares
Feria de San Telmo: Plaza Dorrego / rua Defensa
Outlets: Aguirre com Gurruchaga
Museu dos Beatles: dentro do shopping Paseo La Plaza - Av. Corrientes, entre Rodrigues Peña y Montevideo
Tango no Café Tortoni: Av de Mayo, 825

(meu) Guia de Buenos Aires - Parte 1


Eu não conheço quase ninguém do Brasil que nunca tenha considerado ir a Buenos Aires. O preço é super (ultra)(master) convidativo, é super perto, é uma cidade bonita, considerada a Europa da América do Sul, etc etc. E de fato, Buenos Aires é tudo isso! É claro que quem pode ir pra Europa todo ano com folga ($$$) provavelmente não vê muita graça, mas como a maioria das pessoas não pode se jogar nas compras com Euro e nem viajar todo ano, taí nossa querida vizinha porteña.

Com as passagens de avião promocionais por R$ 50 reais a ida (CINQUENTA REAIS), e o peso a $2,40... Por favor, né. (Não foi o meu caso pois viajei com milhas, mas a passagem que comprei ano passado custou menos do que se eu tivesse decidido ir visitar a minha avó no Rio de Janeiro)

É a segunda vez que eu vou, e é claro que eu penso em voltar mais vezes, fazer outros passeios, os mesmos passeios mais uma vez, conhecer aquela lojinha nova, desvendar os novos produtos de make...

Vou dividir esse "Mini Guia" em três partes (além dessa, com dicas iniciais): passeios, compras e restaurantes. Mas vou tentar postar logo, porque conheço pessoas que vão viajar para lá e já estão me cobrando (como certas ruivas), e porque se eu for demorar muito vou esquecer tudo, hahah.



Lembrando que eu vou expressar a minha opinião, que obviamente, não é a voz da razão. Sintam-se livres a adicionar essas dicas às (milhões de) outras dicas que existem na internet! E vá para Buenos Aires - como diz o meu instrutor da autoescola - na certeza e na segurança!

Algumas coisas que você deveria saber/que já me perguntaram:
Onde é melhor ficar?
Depende muito do que você quer. O ideal é ficar mais no centro, em alguns mapas a área se chama San Nicolás, em outras Microcentro, ou até Bario Norte (hm?), mas bom, no centro. É lá que estão a maioria dos hoteis e do circuito turístico. Mas, por outro lado, a área de Palermo é a mais bonita, a que tem a maior concentração de restaurantes e lojas de design legais, feiras de arte, essas coisas.

Para mim, é simples: escolha um hotel que fique próximo, SUPER próximo (3 quarteirões no máááááximo) de uma estação de metrô, ou subte, como eles chamam. Como moro em Fortaleza e aqui não tem metrô, é claro que acho incrível. Com 20 minutos você de fato atravessa a cidade, e nossa, aquelas combinações são super primeiro mundo! Não tem nada como estar no final daquele passeio exaustivo, no subte, e não precisar andar pra chegar em casa. Se você só vai andar de táxi, aí né, tanto faz.

Mas fuja de: Recoleta, San Telmo e Puerto Madero. Aliás, não sei se tem hotéis em Puerto Madero (deve ter, né). Mas são super contra-mão, não são perto de absolutamente nada, e para pegar o metrô você tem que andar trezentos mil quarteirões.

Eu fico na casa de uma amiga minha que mora lá (oi, Morgana!), então não tenho poder de escolha. Onde ela estiver morando será. Mas, felizmente, das duas vezes a casa dela fica pertinho de uma estação de metrô, então facilita horrores (a gente inclusive fazia coisas como: pegamos o metrô, descemos em tal estação e aí pegamos um taxi para andar esses 15 quarteirõezinhos básicos).




E o táxi?
O táxi é muito barato, começa com uns $5 e são adicionados $0,59 a cada 2 quarteirões, algo assim. $0,59 são tipo como R$ 0,25. Ou seja. (enquanto a passagem do subte é $ 1,10. UM E DEZ. A passagem de ônibus - meia - aqui em Fortaleza está R$ 1!) Muitas pessoas falam das notas falsas, mas isso felizmente nunca aconteceu comigo. Acho que é muito lotérico, e os motoristas de táxi que peguei eram todos homens com um ar muito justo. Ouvi no avião a dica de só pegar rádio-taxis, mas ouvi no mesmo avião alguém dizer que pegou uma nota falsa de um rádio-taxi. Então não sei. Pegue o táxi quando estiver cansado e pronto.

Ah, outra coisa: decore as ruas que ficam entre o lugar que você vai. Ex: Cerviño y Ugarteche (rua Cerviño esquina com Ugarteche - haha, que nome engraçado), ou Marcelo T. de Alvear, entre Ayacucho y Junin.

Mas, para mim, o melhor meio de transporte em Buenos Aires é andar a pé. As ruas são lindas, arborizadas, e mesmo no verão sopra um vento geladinho. Existem vários cafés e livrarias por onde quer que você ande, e você pode se sentar para descansar, ler um Macanudo, tomar uma água e um pedaço de torta e continuar andando pelas ruas lindas.

E o perigo?
Além das notas falsas, existem muitos pick-pockets. Também nunca aconteceu comigo, graças a Dios. Se você pegar o metrô lotado, se abrace na sua bolsa e tente não dar brecha. Se o metrô tiver vazio, fique segurando. Você não anda de ônibus e deixa suas coisas à toa, certo? Então é só ter cuidado e atenção.

Em Buenos Aires não existem assaltos à mão armada, e é tranquilo andar de noite em alguns lugares. Como a Morgana falava: ande objetivamente. Olhe para onde você vai e decore o caminho antes de sair de casa, e vá andando. Quando eu saia para jantar com o Marcelo, por volta das 10 da noite, andávamos até o destino (ou íamos de metrô até onde desse), e voltavamos de táxi. Super tranquilo :)

Eu só evitaria o centro a noite (av. Corrientes e arredores), porque como todos os centros que eu conheço, o comércio fecha todo e fica esquisito. E no domingo à noite também, porque vários restaurantes fecham (??).


É isso!
Em muito breve, as dicas propriamente ditas de Buenos Aires. Se você tiver alguma dúvida, não hesite em perguntar.

E mais para frente, voltaremos à programação normal do blog: muitos desenhos e assuntos que não interessam a ninguém. Não se preocupe, uaheuihaieu.

It looks like December of a Golden Year

"Na fotografia estamos felizes"

É engraçado que, mesmo eu te conhecendo há cinco anos, você não para de me surpreender. Eu te amo muito! Esse é o nosso mês, esse é o nosso ano.

"Chega mais perto, moço bonito
Chega mais perto meu raio de sol
A minha casa é um escuro deserto
Mas com você ela é cheia de sol"

PS: Assim que o meu computador (e, conseqüentemente o meu scanner, e a minha tablet) voltar a funcionar, vou postar um mini guia de Buenos Aires! Minha querida cidade :)

25 anos. Mora no Rio de Janeiro, é carioca de alma, mas cearense de coração. É designer e está tentando se encontrar nesse mundo. Sou casada com meu melhor amigo, o Marcelo Bernardo, e mãe da Dindi the Boston.

Gosto de ler, de dormir de rede, de inspirações repentinas e de petit gateau. Mas o mundo seria muito melhor sem aliche gente que fura fila. Ah, e de vez em quando eu desenho.

Autora


Welcome

Tecnologia do Blogger.

Procura algo?

Arquivo do blog






Esse blog está vestido com as roupas e as armas de Jorge, porque ninguém há de copiar esses textos e ilustrações sem dar o devido crédito.