# TGIF



Durante um extenso período da minha vida eu olhei com um certo desprezo para aquelas pessoas que passavam a vida inteira clamando pelo fim de semana. A verdade era que eu, uma estudante, levava uma vida mole e divertida (que na época, naturalmente, me parecia árdua e freqüentemente injusta). Veja bem, passava a semana na escola, sim, mas com minhas amigas, ficando até mais tarde para ver o treino dos meninos do vôlei, conversando por papel, rindo, e fazendo coisas sem sentido que toda adolescente faz. Aí entrei na faculdade, federal, e passei a controlar meus finais de semana e feriado espontâneos no meio da semana.

Dias de chuva viraram feriados para mim, que simplesmente me recusava a perder uma hora dentro de um ônibus (fora o tempo da espera) para chegar no Campus do Pici e dar de cara com uma sala vazia porque o professor teve a mesma idéia que eu - de ficar em casa, alugar um filme, fazer brigadeiro de panela e comer sem culpa. Não me orgulho de dizer que minhas faltas eram freqüentes, mas eram. Não me arrependo.

Até que, um dia, dei por mim e tinha virado adulta, pagando impostos. E minha vida de adulta transformou os raros dias úteis em casa em dias de resolver coisas e ir ao banco, minhas noites antes tão produtivas em momentos para cozinhar e preparar meu almoço do dia seguinte, e o dia-a-dia trabalhador uma tarefa tão maçante quanto eu sempre desconfiei que fosse quando era mais nova.

E foi nesse momento que comecei a marcar as datas dos feriados do ano inteiro no calendário, e literalmente contar os dias para a sua chegada. Não é que eu não goste de trabalhar, o contrário disso, mas é que há um gosto tão delicioso em saber que um dia a mais de folga se aproxima, um dia de folga maravilhoso que você nem ninguém vai trabalhar, e que mesmo assim você vai receber o seu dinheiro, e são mais 24h para descansar e respirar e viver.

Eu gostaria de voltar com o meu discurso tão bem ensaiado que todos os dias são importantes, são lindos e recheados de amor, que as terças conseguem ser especiais. Elas até conseguem, mas não invalidam a maravilha que é uma sexta. Uma sexta. A precursora dos dois dias mais lindos da semana, praticamente feriados fixos, cheios de amor e luz estrela e luar. Porque os sábados são corridos, passam voando, e a gente tem salão para ir, tem coisas para comprar, e finalmente pode acordar tarde e vegetar, se quiser. E os domingos passam felizmente se arrastando, com brigadeiro de panela (para quem pode). Porque as segundas são insuportáveis, mas pelo menos tem reprise de Guerra dos Tronos. As terças são um saco, porque além de tudo, Marcelo Bernardo dá aulas a noite e não vem para cá. As quartas começam com uma disposição mais feliz,  o meio da semana chegou! Amanhã já é quinta! E vem a quinta, com aquele estigma de dia abençoado só por ser o mais pertinho da… Sexta.

Graças a Deus que hoje é sexta.

(e melhor ainda, graças a Deus que quinta que vem é feriado!)
(e não obstante, em junho vamos ter DOIS feriados por causa da Copa das Confederações! De repente, sou grata ao futebol)

(e em julho eu entro de férias!)
  1. Alémd e amar seus posts e os temas deles, eu amo ainda mais suas ilustrações. Como faço pra ser você em outra vida? E, realmente, TGIF! E Deus, obrigada pelo feriado e por eu não ter de trabalhar nele. Pelo menos dessa vez, haha. Beijinhos, abiga.

    ResponderExcluir
  2. Ai graças a Deus é sexta feira mesmo. Eu fico MUITO feliz com a perspectiva de fazer absolutamente nada!
    Finais de semana são mágicos. :)
    Beijo. <3

    ResponderExcluir
  3. SÉRIO QUE TEM FERIADO POR CAUSA DA COPA EM JUNHO? QUANDO? NÃO SABIA DISSO! QUE LINDO! QUE MARAVILHOSO!
    E eu sempre amei sextas, sábados e domingos. Nada melhor <3

    ResponderExcluir
  4. esse feriado tá vindo em tão boa hora!

    ResponderExcluir
  5. Amiga, eu sou clichê super assumida e sempre fui chegada numa sexta-feira. Eu sou daquelas que tem certeza de que o melhor da festa é esperar por ela. Sempre curto mais as coisas antes delas acontecerem, adoro a expectativa, então, lógico que sexta-feira é o dia mais legal, porque, bicho, amanhã tem um sábado inteirinho pra mim! HAHAHA
    Beijos!
    Amo-te!

    ResponderExcluir
  6. hehehe, que reflexão.
    ainda bem que eu sempre estudei no Campus do Benfica, é mais pertinho da minha casa. rs!
    mas, falando sério, eu, mesmo depois de todo o tempo trabalhando {bem mais de} 40 horas semanais desde os meus 18 anos, nunca me queixei das segundas-feiras, terças... eram os dias em que eu chegava com a energia recarregada! mas, às sextas, eu estava destruída. o que me salvava era que eu sempre fazia as necessárias horas extras às segundas e terças, e saía às sextas no meus horário, pra dar tempo ir no salão, fazer cabelo e unha pra ir pra balada. sábado, eu passava o dia desmaiada: ressaca e cansaço, tudo junto. não fazia absolutamente nada a não ser deitar na rede com o celular e o fixo do meu lado, pois, se tocasse, eu sequer precisaria me levantar.
    ainda hoje, trabalhando por conta própria, não consigo me queixar das segundas. acho que mentalizei assim e incorporei no meu hábito.
    xO!



    Blog da Sandra Costa

    ResponderExcluir
  7. frequentemente eu quero comentar teus post Gabi, mas não consigo ser eloquente o suficiente pra dizer o quanto eu gosto do teu blog, aí acabo que deixo minha passagem por aqui despercebida e silenciosa! Mas a verdade é que sempre sinto que vc me fala a alma! :~ haha <3
    sobre a sexta, serei simplista: eh tudo verdade! tudo tudo!

    ResponderExcluir
  8. SUMA DAQUI COM ESSES GIFS LINDOS <3
    Eu sempre amei muito sexta-feira, principalmente na época da escola, porque era o dia que a manhã passava voando e eu podia dormir a tarde inteira ou ir no cinema com meus amigos. Ou dormir a tarde inteira E ir ao cinema com meus amigos à noite. Muito boa essa vida.
    Sexta também é meu dia favorito de balada, mesmo que eu quase não vá pra balada. É ótimo porque você sai, se diverte, volta pra casa cambaleando de tanto dançar e quando acorda toda doída pensando que o mundo acabou, lembra que ainda é sábado e o fim de semana tá só começando. Quer coisa pior que sair de sábado e acordar de ressaca no domingo? Uma tristeza!
    No último semestre minhas quintas tinham cara de sextas porque de segunda a quarta era tanta pauleira e tanto problema e coisa pra entregar e resolver, que quando a quinta chegava e eu pensava que só tinha que entregar coisas e fazer tarefa na segunda eu sentia uma felicidade sem fim.

    Uma semana doce e menos sofrida pra você, amor de Couthinha <3

    ResponderExcluir
  9. Também ando pensando quando é que as sextas-feiras passaram a ser assim tão importantes pra mim?! É um saco, acima de tudo, que eu não me vejo de férias (dona do próprio negócio tem dessas coisas), e fico imaginando a minha vida longínqua de colegial, quando as tardes eram preenchidas por joguinhos de The Sims.

    Os finais de semana passam tão rápido, que quando chega segunda-feira eu quero tentar ser otimista como meu pai e sempre repito o mantra "começou mais uma semana de sucesso! Bora lá viver!". Hahahaha

    E um ps: QUE GIF MARAVILHOSO!!! <333

    ResponderExcluir


25 anos. Mora no Rio de Janeiro, é carioca de alma, mas cearense de coração. É designer e está tentando se encontrar nesse mundo. Sou casada com meu melhor amigo, o Marcelo Bernardo, e mãe da Dindi the Boston.

Gosto de ler, de dormir de rede, de inspirações repentinas e de petit gateau. Mas o mundo seria muito melhor sem aliche gente que fura fila. Ah, e de vez em quando eu desenho.

Autora


Welcome

Tecnologia do Blogger.

Procura algo?

Arquivo do blog






Esse blog está vestido com as roupas e as armas de Jorge, porque ninguém há de copiar esses textos e ilustrações sem dar o devido crédito.