Rio: Bar Urca








Sempre que vamos pro Rio, não tem como não ir ao bar Urca. Aliás, vou fazer uma introdução: meu pai é carioca, então (reprisando), sempre que vamos ao Rio, tem uma série de lugares que ele ama e sente necessidade de ir bater o ponto. Muitos são botecos pé sujo que carioca adora, mas que eu não vejo muito sentido em ir. Mas não o bar Urca.

Não há como não falar logo de imediato na vista. É a baía de Guanabara ao seu alcance, numa vizinhança silenciosa e cheia de casas lindas (comentário que sempre se repete: é aqui que mora o Roberto Carlos). O Bar em si fica numa esquina, com uma bancada para você ir pedir o que quer. O Bar Urca não tem garçom e somos nós que temos que ir pegar os quitutes e as cervejas, atravessar a rua e sentar na muretinha que tem aquela vista incrível.

E não tem como não pedir uma das empadas deliciosas que tem por lá. Eu tenho alergia à camarão, mas pude ver pela expressão de Marcelo Bernardo que essa empada estava incrível. Minha favorita é a de palmito, por vir envolta num creme... Ah, só de pensar dá água na boca.

Aproveitando o local pouco inspirador, fiz um dos desenhos da viagem.






Só cuidado quando for descer a calçada traiçoeira!
Como estávamos loucos para ir ver a Urca, o bar foi o primeiro passeio da viagem, que desencadeou no  episódio 4 de Gabriela Torcendo o Pé. Isso eu não recomendo.

Agora, a empada de palmito... Hmmm...


Bar e Restaurante Urca - Fundado em 1939
Rua Cândido Gaffrée, 205 - Urca - Rio de Janeiro
Tel: + 55 (21) 2295-8744

Essas Pessoas da Sala de Jantar

Aí que minhas amigas da Máfia todas estavam postando um meme simpático, que falava sobre um jantar organizado por nós, no qual só iriam nossos personagens favoritos, determinados por alguns critérios. Vi os vídeos e achei ótimo, especialmente com o sentimento que não precisaria participar dessa vez. Até que Taryne me intimou a fazer o vídeo, e eu me vi num beco sem saída.

Olha, não posso dizer que foi fácil. Além da equação livros lidos x personagens contidos dentro deles, um fator agravante: minha falta absoluta de memória. Só consigo lembrar (mal) dos personagens dos livros que acabei de ler, ou dos que me marcaram profundamente. Então depois de rachar a minha cabeça para conseguir lembrar de personagens incríveis que se enquadrassem os quesitos, consegui enfim fazer o vídeo. Ei-lo:

Personagem que cozinhe: Clube Epicuriano (conto O Pássaro-do-Sol, do Coisas Frágeis - Neil Gaiman)
Personagem rico para bancar a festa: Bilbo Bolseiro (O Hobbit - J.R.R. Tolkien)
Personagem para causar uma cena: Cersei Lannister (As Crônicas de Gelo e Fogo - G.R.R. Martin)
Super Popular: Elizabeth Gilbert (Comer, Rezar e Amar - Elizabeth Gilbert)
Um vilão: Tom Riddle (Harry Potter - J.K. Rowling)
Engraçado, divertido (e também meu par): Fred Weasley (Harry Potter - J.K. Rowling)
Casal: Lyra e Will (Trilogia As Fronteiras do Universo - Philip Pullman) (menção honrosa à Cecilia e o Robbie, de Reparação - Ian McEwan).
Um herói: Sally Lockhart (Série Sally Lockhart - Philip Pullman)
Subestimado: Fat Charlie (Anansi Boys - Neil Gaiman)
Personagem à minha escolha: Tyrion Lannister (As Crônicas de Gelo e Fogo - G.R.R. Martin)


"Stories you read when you're the right age never quite leave you. You may forget who wrote them or what the story was called. Sometimes you'll forget precisely what happened, but if a story touches you it will stay with you, haunting the places in your mind you rarely ever visit" (Neil Gaiman)




Não vou indicar ninguém, porque fazer um vídeo às vezes é um martírio, mas quem se sentir com vontade de fazer fique à vontade! E me avise :)

Fortaleza - Parte II

Então, continuando a saga do Carnaval em Fortaleza:

3. Tempo livre
Eu não consigo acompanhar séries, não sei se vocês sabem. É um descompromisso, nunca tenho vontade de baixar, sou apaixonada mas esqueço nas últimas temporadas, enfim. Série boa para mim é aquelas que você não precisa acompanhar para assistir (tipo CSI ou Criminal Minds, que eu assisti uma centena de episódios, mas, por algum motivo, não vi o fim. Ou Friends, que eu acompanhei razoavelmente até o fim, mas sempre vejo sem compromisso). Então ao contrário de todo mundo que eu conheço que ficou na cidade para botar as séries em dia, eu não fiz isso.

Tinha me planejado para organizar alguns assuntos do blog, mas a internet caiu no sábado e não voltou mais. Estava sem internet e tive que adivinhar o telefone da GVT para reclamar, como ia arrumar número sem pesquisar pela internet? Enfim. C'est la vie.

Mas aproveitei para ler e tirar o Orgulho e Preconceito do atraso! E estou perdidamente apaixonada pelo senhor Darcy! Mas isso é outro post.

4. Festas
Não teve.
Pé podre não permite interação social que não envolva uma cadeira bem confortável para eu me sentar e risco nenhum de alguém pisar nele.

5. Filmes



As Vantagens de Ser Invisível estreou finalmente em Fortaleza nesse final de semana, apenas uma sessão por dia, então tratamos de correr para assistir logo antes que saísse de cartaz. É um ótimo filme de high-school, e a atuação do Ezra Miller como Patrick está incrível. Também me afeiçoei ao Percy Jackson Charlie. Para mim, é um filme sobre amizades, e sendo um filme sobre amizades, creio que ele teve seu objetivo atingido: quem não queria ser da turma dos três? Quem não queria ir às festas na casa da Mary Elizabeth, ou assistir ao musical, ou trocar presentes incríveis uns com os outros? Quem não queria se sentir infinito? Por favor, pessoal, me adotem. Finjo ter 17 anos de novo.

Agora, outro ponto: a Emma Watson. É claro que a nata do fandom de Harry Potter estava na sessão de estreia do filme, e abafamos todos gritinhos ao vê-la pela primeira vez na tela. E, sei lá, embora a achando linda, não posso dizer se gostei de vê-la no filme. Acho que ficou um pouco deslocada. Não sei se foi o fato dela, pela primeira vem em 10 anos de atuação, usar uma camiseta na tela, ou saias curtas, ou vestidos, mas não achei muito convincente.

E qual foi o fã de Harry Potter que não desejou que o beijo entre ela e o Rony tivesse sido um pouco mais como o beijo entre a Sam e o Charlie? Ok, eu disse que isso não era uma resenha. Prossigamos.

Também assistimos a O Lado Bom da Vidaum filme leve e divertido sobre um assunto tão delicado quanto os problemas mentais humanos. Como filha de psiquiatra e psicóloga, acabo me interessando pelo tema, mas o filme descartou o lado verdadeiramente problemático da coisa e seguiu para ser um filme leve, ideal para assistir num domingo à noite. Não li o livro para dar um parecer tão completo quanto o da Deyse, e para mim, foi só mais uma comédia romântica daquelas que a gente ama rever.

Morri de vergonha, de ficar vermelha e mortificada, de querer cobrir os olhos, quando eles estão dançando. E tenho vontade de matar quem diz que a Jennifer Lawrence é gorda. Sem mais.



Agora vamos ao ponto alto: os Miseráveis. Como fã doente de musicais, como uma pessoa cujo gênero favorito é musicais, não posso dizer como aguardei esse filme ser lançado. E embora opiniões sejam bem divergentes sobre ele, posso dizer que amei. Amei com todas as minhas forças.

O filme é longo, sim, o filme praticamente não tem falas, apenas canções. Como o Marcelo falou, é um musical level hard. Você tem que abstrair. E eu, que acredito que o mundo seria mais feliz se nós também passássemos o dia cantando as nossas emoções, nem notei. A falta de falas não fez nem cócegas em mim, que assisti ao filme inteiro arrepiada, com um nó na garganta. A atuação da Anne Hathaway, em certo ponto do filme reduzida ao lixo da sociedade, completamente nua de qualquer orgulho, é de arrepiar. Mas ela morre (spoiler, haha). E a vida continua. E o filme mostra isso, revelando personagens cada vez mais incríveis.



A Helena Bonham Carter dá um show, e o Sacha Baron Cohen também. Quem assistiu Sweeney Todd deve ter reconhecido, pois se não era a Mrs. Lovett mais uma vez, e o farsante do Mr. Pirelli novamente, não sem quem eram. Personagens cativantes, extremamente ingleses, que te fazem rir no meio daquela miséria (trocadilho infame) toda. Ah, mas eles só fazem os mesmos papeis. E para quê mexer num time que claramente está ganhando?

Quando achei que não podia ficar melhor, me aparece aqueles revolucionários lindos em cima de um palanque. Não sei quem vocês são, não sei o que pregam, mas quero esse broche, quero hastear essa bandeira, quero cantar junto com vocês, seus lindos. Quero ver o sangue revolucionário correndo pelas minhas veias também. Quero todos vocês dentro de uma caixinha para alisar. Quero tudo isso e mais um pouco. E quero aquele romance lindo e proibido que só musicais conseguem ter, e juras de amor eterno cantadas quando só o conheço há 12 horas mas já o amo. Eu, que nunca achei muita graça do Eddie Redmayne, quis colecionar todas aquelas sardinhas, e juro, cheguei em casa e botei o nome dele no google e fiquei procurando fotos e suspirando (tal qual faria em 2002). Não tem um dia desde então que não me veja pensando no Marius.

Do musical era óbvio que iria amar. Mas não esperava me envolver tanto assim, e sair do cinema com um aperto no coração, e uma vontade de ver o filme mais quantas vezes forem necessárias.

Necessito passar uns dois meses cantando, agora, até que passe essa vontade.
E necessito também de outro carnaval como esse :)

Fortaleza - parte I

Ou um post muito (muito) longo no qual começou sendo um meme, passou por um dramalhão e se resumiu como "resenha" "gastronômica" de dois restaurantes, além de três críticas muito meia boca de filmes.

Ok, ok, eu não deveria ter feito isso. Recebi esse título de post da querida Iralinda, com uma definição incrível até, mas, unindo o útil ao agradável, resolvi colocar para fora o relato que foi meu Carnaval aqui, na adorável terra do sol.

Na quinta-feira, dia sete de fevereiro, me deitei na minha cama e rolei de um lado para o outro, na apreensão do que ia fazer no dia seguinte. Sexta-feira de carnaval. Até o dia anterior, estava certa das minhas convicções: Marcelo Jeneci viria fazer show em Fortaleza no dia 10, véspera do meu aniversário, e meia-noite iria cantar com ele, me jogar em seus braços, enfim. Tudo lindo, até que foi divulgada uma nota que a prefeitura havia se enganado, e propagado erroneamente a informação que o Jeneci estaria aqui, quando, na verdade, ele sempre iria para Recife. Tão longe, tão perto. Diante disso, tudo que eu tinha como certo foi tirado de mim, e a perspectiva de viajar com meus pais (que iam para a cidadezinha de Guaramiranga) pareceu tentadora. Olha só: casa na serra, friozinho, comida somente da melhor, muitas horas de sono para repor debaixo dos cobertores com o Sr. Darcy para me fazer suspirar. E o Sr. Bernardo do lado, lendo também. Mas aí, depois de muito drama desnecessário (meu), decidi ficar.

E nesses quatro (cinco, porque emendei na sexta devido à problemas adjacentes ao meu Pé Podre) dias, teve:

1. Restaurantes
1.1.  San Paolo
Sábado eu estava louca para ir comer sorvete, e ele, para ir torrar seu dinheiro na Livraria Cultura. Fomos, e por lá encontramos com um casal de amigos muito querido. Passeamos, passeamos, comprei um livrinho do Neil Gaiman para desopilar (hahah), e fomos ao sorvete. Ah, o Sorvete. AH O SORVETE.


Vontade de mergulhar dentro do sorvete


A San Paolo abriu aqui na Varjota tem pouco tempo, mas é um fenômeno de público. E não posso tirar a razão de todas as pessoas que deixam as filas de lá uma confusão: o sorvete não é bom, é incrível. E é o ápice da gordice, porque além dos sabores artesanais e gordos (o favorito unânime é o de Leite Ninho), eles ainda são recheados com inúmeras opções mais gordas ainda, como brigadeiro de colher (o favorito também), marshmellow, bis, kitkat, jujuba, biscoitos, e tudo mais que sua gula conseguir imaginar. Eu fui de Farinha Láctea, recheado de brigadeiro e kitkat. Sim. Oh, yes. É o tipo de coisa que, quando você prova, não consegue esquecer.



São duas mesas de pedra resfriadas, que permitem que os IceCreamMan (acabei de inventar isso) espalhem as bolas de sorvete de sua preferência e coloquem o recheio, sem que o sorvete perca a consistência. A cremância. Indico os sabores gordos mesmo, tipo o de Leite Ninho, o de Nutella ou o de Farinha Láctea. Mas Marcelo Bernardo e minha amiga Marília, que por algum motivo preferem sempre sorvetes mais light, aprovaram o sorvete de Pistache (é muito bom mesmo) e o de Musse de Maracujá.



A San Paolo fica na Rua Ana Bilhar, 1145.


1.2. Murano Grill

O Murano é amor antigo, descoberto em 2012 (ok, não tão antigo assim), e rapidamente ascendendo para a posição do meu restaurante favorito. Como é caro, eu costumo não me dar ao luxo de ir frequentemente, deixando-o apenas para ocasiões especiais. É lá que tinha o meu prato favorito de todos os tempos: Peito de Peru defumado e grelhado, servido numa redução de damascos e acompanhando um risoto de queijo brie. Eu chorava de amor verdadeiro por esse prato, e sempre que ia lá, pedia sem a menor culpa. Até que um dia o cardápio foi modificado e o Peru havia ido embora.

Nessas condições, o restaurante caiu no meu nível de satisfação, e desde então eu tenho procurado no cardápio um substituto para meu prato do coração. Até agora todos foram bons, mas nenhum chega aos pés daquele risoto de queijo brie. Mas o Murano decidiu manter a minha sobremesa favorita, então mesmo sempre perdendo meu tempo vasculhando o cardápio (vai que o Peru volta disfarçado), me conforta saber que ele estará lá. Meu Petit Gateau de Doce de Leite.

Ok, meu aniversário de 23 anos chegou, e como estava sozinha com o Marcelo, decidimos sair para jantar. E lógico que o Murano foi minha escolha. Fomos nós dois e o Renne, um amigo que sempre compartilha das nossas aventuras gastronômicas, porque a ideia de comer um Petit Gateau de doce de leite no dia do meu aniversário me confortava. Era tipo começar o meu ano com o pé direito.



Acabei pedindo um peixe grelhado com risoto de pêra com gorgonzola (sim, amo risoto). Aliás, numa cama de risoto de pêra com gorgonzola. Quis me deitar naquela cama, porque, nossa, que risoto delicioso. Quanto ao peixe, não achei ruim, mas também não fez minhas papilas gustativas dispararem de alegria. E embora muito bom, não era o meu Peru. (campanha #MuranoCadêOPeitodePeru?)

Na sobremesa, o Petit Gateau de Doce de Leite fez o seu papel, e eu suspirei em cada pedaço. Murano, não tire o petit gateau de doce de leite de mim também, por favor.

O Murano Grill fica na Dom Luis, 1200, dentro do shopping Pátio Dom Luís.

2. Praia

Fomos para a Praia do Futuro dois dias, optando pela barraca Vila Galé pela quantidade de pessoas (que nunca é exagerada), e porque ainda tem cadeiras de madeira na beira da praia. Levamos Dindi e ela ficou num misto de pânico e alegria extrema, cavando, degustando areia, e querendo perseguir todas as crianças que estavam por lá.



Na verdade, não tenho muito o que falar da praia, além do que me aconteceu quando eu estava lá. Eu consegui a proeza de ser picada por uma abelha, na minha axila direita. Sim. Milhares de pessoas na praia, uma extensão de quilômetros de faixa de areia, e uma abelha vem e bate em mim, deixando de presente um ferrão enterrado debaixo do meu braço. Muito sangue frio para retirar o maldito ferrão e ir para casa sem chorar, porque alérgica como sou, em segundos a picada inchou e ficou uma mancha vermelha gigantesca.

Enfim. Prosseguindo.

----------
Ok, então o post estava tão grande que eu achei melhor dividir em dois. Em breve, Fortaleza - parte II (que talvez nem tenha esse título).

23 antes dos 24

Vestido: Antix | Cinto: C&A | Colar de cartinha: Feira de Santelmo (BsAs) | Brincos: eBay


Vi no a Beautiful Mess que a Emma e a Elsie sempre fazem uma lista de coisas que querem alcançar durante o ano. Mas elas concordam comigo: também sinto que o ano só começa de fato quando meu aniversário já passou. Tudo bem que ele é em fevereiro, comecinho do ano. E só amanhã. Mas desde o fim do mês passado que reflito todas as coisas que quero alcançar antes dos 24. Então vamos ao meme:

1. Voltar a dirigir com razoável freqüência
2. Reler o Senhor dos Anéis
3. Aprender a fazer macaroon
4. Viajar nas férias
5. Decidir minha vida profissionalmente
6. Fazer um quadrinhos curto
7. Postar, no mínimo, 60 vezes no blog
8. Abrir o blog de culinária/resenhas gastronômicas
9. Emagrecer e chegar aos 62kg
10. Curar meu pé doente! E não torcer em Dezembro de 2013!
11. Encontrar com minhas amigas mais queridas que moram longe(Monique, saudades de você / Meninas da máfia, amo vocês!)
12. Ler 30 livros
13. Ir a mais shows
14. Aprender a tirar fotos melhores
15. Ir mais a praia nos fins de semana
16. Fazer mais viagens curtas nos fins de semana também
17. Conseguir correr na beira-mar
18. Aprender a pintar a unha
19. Comprar um secador de cabelo e aprender a secar o cabelo
20. Fazer o post dos musicais favoritos
21. Fazer uma ilustração com guache
22. Manter a agenda (linda) até o fim do ano
23. Noivar :)))



E dar muito beijo em Dindi! Feliz 23 para mim!

Achados da Praça XV


Como comentei no post falando sobre a Feira da Praça XV, é virtualmente impossível sair dela imune. Mesmo que você já tenha completado suas coleções, não esteja a procura de nada especial... Alguma coisa você vai encontrar. E vai ser barato, e vai ser bom. E você vai sorrir pra si mesmo e querer espalhar suas compras no chão, como eu fiz, só para poder olhá-las novamente.



Dessa vez, não fomos agraciados com nenhum achado baratérrimo (daqueles que dá vontade de rir só de pensar), mas com alguns muito bons. Como por exemplo, a armação do futuro óculos de grau do Marcelo, que foi R$ 20, ou as pulseiras, que custaram R$ 10 cada uma. E ele comprou todos os quadrinhos dele (esses que não são do Tintim) por R$ 50.

Agora, não sei o que foi melhor: esse óculos escuros lindo da Burberry, por R$ 100, ou estar cada vez mais perto de completar a minha coleção do Tintim, por R$ 120. Não sei, só sei que foi bom.


Tinha esquecido de colocar a minha llaminha na foto! Já a batizamos de Ares, e agora ela está ao lado de seu irmão mais velho Hermes na minha estante. Espero que a coleção um dia aumente, porque elas são tão queridas (podem me dar llaminhas de presente).

Acho lindo que minha avó opinou na construção da foto
e adicionou o ticket do cinema e o chaveiro de florzinha que ela me deu. Vovó blogger.

E agora um bônus, uma foto que encontrei enquanto vasculhava os meus arquivos!  Porque quando eu e o Marcelo viajamos ao Rio pela primeira vez em 2008, também tivemos a ideia de juntar tudo que havíamos achado na Praça XV. A foto não está das melhores, mas podemos ver o Ericofone que eu trouxe pro papai (que coleciona telefones, entre muitas outras coisas. A corujazebra e as colherinhas das fotos acima são para as coleções dele), o jogo de xícaras com gueixas, e os três quadrinhos que desde esse dia estão na minha parede. E o Garfield no velho esquema de R$ 2.

Ah, e a latinha vermelha da mamuschka, que eu usei a faculdade inteira para guardar minhas coisas de costura, e que anos depois (em 2011), encontrei uma mini pra fazer conjunto lá na feira de San Telmo, em Buenos Aires. Quem sabe um dia eu faço um post com todas as latas/caixas...



Costa a Costa

Recebi esse meme da linda Analu, que confessa que sempre sonhou em ser entrevistada. Não é um sonho que eu tenha com frequência, principalmente porque tendo um tio coruja que é jornalista, já estive na frente das câmeras algumas vezes e toda vida é a mesma coisa: gaguejo, esqueço a pergunta, suo frio, falo com um sotaque absurdo vindo sei lá de onde, respondo coisas a esmo e falo umas cem mil vezes um "éééé...". Sorte que pelo blog a vida é tão mais bonita, né? Hahah! Sem mais delongas, aí vai o meme:

Como escolheu o nome do seu blog?
Em 2004 as sobremesas ainda não haviam sido globalizadas, então nessa época longínqua ainda não havia provado petit gateau, brownie ou cupcake. Também não tinha maturidade suficiente para amar bolo com recheio de crocante. Brigadeiro era meio banal, mas podia ter sido, e nas sobremesas da vida imperava o pavê. Eu, como sempre fui gordinha de espírito (e apenas recentemente de corpo), decidi colocar no blog um nome de doce que jamais fosse enjoar. Pudim de leite. Sim, pois é, besta, e fica pior: procurei no dicionário a tradução em francês, para deixar mais chique. Pudding de lait. Muito provavelmente está errado, mas aí foi ficando Pudding, que é um nome legal de dizer, e de qualquer forma significa sobremesa em inglês (britânico). Pudding. Pudding. Awesome.

Há quanto tempo tem seu blog?
O primeiro post do Pudding data de 2004 (em outro domínio, vindo para cá em 2007), mas antes disso tive outros blogs desde 2001. Ele fica meio parado às vezes, mas gosto de saber que ele está aqui.

Como você divulga seu blog?
Também sou dessas que não divulgava o blog no começo, porque falava de muita gente ao meu redor, e não queria que ninguém soubesse (para quê escrever então na internet né). Mas tudo mudou em 2006 quando eu tive a chance de ganhar uma volta ao mundo pelo concurso da Negresco, então divulguei para TODA Fortaleza, porque precisava de votos para concorrer a esse feito. Ganhei a categoria blog (eram várias), mas não ganhei a volta ao mundo, e acho que dessa época conquistei alguns vários leitores fantasmas. O tempo passou e eu nunca mais divulguei, mas no fim do ano passado resolvi que iria voltar ao blog e passei a divulgar na minha BELÍSSIMA PÁGINA DO FACEBOOK e afins.

Quais assuntos têm mais visualizações no seu blog?
O post que tem mais gente olhando é o dos 5 Melhores Filmes de Dança. Aliás, tanta gente olha esse post que eu preciso fazer o post dos Musicais. Em segundo lugar e com a metade da audiência estão meus posts sobre Cosplay, e sobre meus trabalhos de moda. Aparentemente, muita gente quer aprender a fazer croqui.

O que motivou você a criar um blog?
Quando eu era criança, muito me interessava a ideia de ter um site, e sempre gostei de escrever. Lembro que colocava minhas histórias em sites malfeitos, que não tinham nenhuma visualização, mas achava o máximo. Aí né, surgiram os blogs, o mundo uniu o útil ao agradável, e eu comecei a blogar. Simples assim.

Onde você mora?
Fortaleza, CE. No mesmo quarto desde que nasci. Tirando a violência absurda, eu gosto muito de Fortaleza, e estar no meu quarto numa hora dessas (domingo de manhã), sentindo o vento da praia no rosto, o céu sem nenhuma nuvem... É muito bom. Mas, mesmo assim, não vejo a hora de me mudar.

Quais são os objetivos do seu blog?
Fama e fortuna, somente.

Quais blogs você visita frequentemente?
Estou sempre rondando as Mafiosas, mas além disso, adoro blogs de beleza como o Dia de Beauté e o 2Beauty. Aliás, amo essas duas, e são minhas divas. Também olho blogs de moda, embora esteja fazendo uma desintoxicação. Mas minha musa da vida dos blogs de moda é a Alix, sempre, eternamente.

O que te inspira na hora de criar posts?
Gosto de ver posts bonitos, e logo adoro fazer posts bonitos. Se penso num tema, penso imediatamente em como posso abordá-lo da forma mais visual, se alguma ilustração encaixaria, se seria interessante mesmo. Gosto de ler informações e opinião. Então sei lá, tudo que é bonito me inspira, e não sei se feliz ou infelizmente, deixei de postar coisas que abordam somente o meu cotidiano. Fez sentido?

Qual sua idade?
Dois patinhos na lagoa! Mas dia 11 (semana que vem) faço vinte e três. Essa idade está na lista das idades que sempre quis fazer, como: 10 (para poder sentar no banco da frente com minha mãe), 16 (por nenhum motivo aparente), 19 (idem), 21 (idem) e 23. A partir de agora, não almejo mais nenhuma idade, e estou ficando oficialmente velha.

Além do blog, tem alguma outra ocupação? Se sim, qual?
Sou estilista infantil e faço roupas e estampas para pequenos homens no horário comercial (e frequentemente faço hora extra). Também sou mãe da Boston Terrier mais gostosa, a Dindi. E atualmente me ocupo entre a fisioterapia e finalmente comecei a academia. E ainda tenho que preparar meu almoço (light) durante a semana. E dar atenção ao meu querido par. E ainda tem que sobrar tempo para ir no salão. E desenhar. E ler.

O que você mais gosta de fazer nos fins de semana?
Dormir, comer e ler. Basicamente, é isso.

Gosta de café?
Essa pergunta eu juro que não entendo. Completamente fora do contexto, hahahaha. Parece que fui eu quem fiz.
Eu gosto de café com leite e ovomaltine (receita incrível e extremamente doce que eu criei), ou capuccino. Nem de café com leite eu gosto. Mas adoro o cheiro de café, e como boa aspirante a hispter, adoro ir ao Starbucks quando viajo, mas sempre peço alguma coisa bem dooooce. Café é bom.

Pretende fazer algo para o blog em 2013?
Postar bem muito e deixar quem está lendo morrendo de vontade de voltar aqui e ler o que tenho para dizer, e ver meus desenhos. O blog está passando por uma mudança editorial, que irá continuar, e no fundo, espero cativar pessoas novas e manter as queridas antigas que vem aqui desde sempre. Ok?

--------
Eu deveria mandar esse meme para pessoas, mas não tenho o menor jeito com isso, então sei lá, está aí para todo mundo! Respondam!

25 anos. Mora no Rio de Janeiro, é carioca de alma, mas cearense de coração. É designer e está tentando se encontrar nesse mundo. Sou casada com meu melhor amigo, o Marcelo Bernardo, e mãe da Dindi the Boston.

Gosto de ler, de dormir de rede, de inspirações repentinas e de petit gateau. Mas o mundo seria muito melhor sem aliche gente que fura fila. Ah, e de vez em quando eu desenho.

Autora


Welcome

Tecnologia do Blogger.

Procura algo?

Arquivo do blog






Esse blog está vestido com as roupas e as armas de Jorge, porque ninguém há de copiar esses textos e ilustrações sem dar o devido crédito.