5 Melhores Shows da Minha Vida

Tem pouca coisa que gosto de fazer nessa vida, e uma delas é ir a um show de uma banda que eu ame. Já conheci algumas pessoas que não gostam (gente!), mas acho que de fato, não há nada melhor do que você amar um cantor, ou uma banda, assim, de longe, e de repente ficar assim, de perto. Claro que há grandes decepções (Beyoncé, estou olhando para você), mas, de modo geral, é incrível ver aquele cd que você ama assim, sendo tocado ao vivo.

Esse ano vi um show tão incrível que pensei: preciso escrever sobre isso no blog. Então lembrei de outros shows incríveis que já vi, que nunca vieram parar aqui, então está aqui um apanhado dos melhores shows que já fui (até agora).

5. Arctic Monkeys na HSBC Arena (2014)




Esse show tem o sabor da minha mudança, dos dias incríveis que estava passando ao lado das minhas amigas, da liberdade, da primeira vez da minha vida que consegui sair (e virar) duas noites seguidas, da primeira vez que acordei de ressaca, e ter debatido sobre gente inconveniente que frequenta shows com a Anna Vitória, de ter gasto um dinheirão sem nem conhecer a banda, só pela folia.

Mas a questão foi que eu não conhecia direito a banda, e mesmo exausta e necessitando dormir, consegui curtir o show inteiro, me apaixonei pelo Alex, quis ter um filho dele com tanta força que acordei no dia seguinte com cólica, cantei as músicas aprendendo na metade, pulei, pulei, abracei minhas amigas. Alex, are you mine? I wanna be yours. Bastou esse show para que eu virasse fã e passasse a ouvir todos os cds da banda, e tudo bem que é muito melhor conhecer antes de ver ao vivo, mas se essa não foi a melhor forma de começar o ~nosso relacionamento~ eu não sei qual é.



4. Los Hermanos no Biruta (2012)




Eu acho que consegui ir a seis shows do Los Hermanos na minha vida, e inclusive o primeiro show que fui ever foi com o Ventura (eu acho). Então vi shows bons e vi shows ok, mas o último show que eles fizeram na turnê de comemoração aos 15 anos foi o melhor.

Foi numa barraca de praia (na verdade, foi o segundo show que eu fui lá. O primeiro foi o lançamento do cd 4), o show foi super longo, e todo mundo cantava em uníssono todas as músicas. Eu geralmente tenho ciclos de gostos musicais: eu escuto uma banda até cansar, e depois passo anos sem ouvir. Fui para esse show no período de anos sem ouvir, então não me lembrava da maioria das músicas, mas na hora que eles começavam a tocar, acontecem coisas.

"Além do que se vê" é uma eterna favorita, que sempre que toca todo mundo se desespera, e "Sentimental" eu cantei inteira aos prantos, lembrando de todo um sofrimento adolescente. Das antigas, pros fãs, eles tocaram "A Flor" e terminaram com "Pierrot". Chora! Ano passado eu fui ao show da Banda do Mar, e o Camelo cantou "Além do que se vê" na capela, com o público. Foi lindo. Estou louca para o show que vai ter esse ano, e dessa vez já estou ouvindo os cds de novo, para já ir matando a saudade. 



3. Black Eyed Peas no Ceará Music (2010)





Aconteceu um fenômeno incrível nesse show que foi: ele foi MUITO bom. Eu gostava de Black Eyed Peas um bocado, mas assim, nunca diria que era a banda da minha vida. Só que esse show conseguiu empatar no ranking com o próximo da lista, sendo desempatado mesmo por pura culpa. Só que não tenho vergonha: já fui pra show do Chico Buarque, já fui pra show da MUSA suprema Beyoncé (!!!!!) , já fui pra show ruim, já fui pra show bom, mas nada nunca se comparou ao show do Black Eyed Peas.

Tinha mensagem subliminar durante o período do show? Qual a justificativa para um show de uma hora e meia, no meio de um festival meia boca, ser o melhor show ever? Não sei, mas sempre que comento desse show com alguém que foi, vejo o mesmo espanto espelhado na pessoa. Não sei, só sei que foi assim. Só sei que nunca dancei e pulei tanto na minha vida, só sei que nunca passou isso pela minha cabeça, mas chorei ouvindo "Big girls don't cry", só sei que "Fergalicious" devia voltar à moda, só sei que "My Humps" é um hino, só sei que nada sei.

E que se um dia houver outro show de Black Eyed Peas cruzando a minha vida, estarei na primeira fileira.



2. Paul McCartney no Castelão (2013)





Um Beatle, vivo, ali, pertinho, olhando pra mim. Foi mais ou menos assim o show do Paul: eu não acredito até agora que aconteceu. Para comprar o ingresso foi aquele drama de sempre, incluindo eu
chorando no banheiro do trabalho porque todo mundo já tinha conseguido comprar e eu não, e no dia tivemos que passar por um congestionamento de duas horas (!) num percurso que dura 10 minutos.

O Paul é lindo, é fofo, chorei um rio quando ele cantou "Maybe I'm Amazed", e achei que fosse morrer de tanto gritar com "Live and Let Die". Foi um show de ficar arrepiada durante três horas inteiras, e enquanto o pessoal do meu lado tava sem energia depois de tanto tempo em pé (pessoal, melhorem), eu não conseguia parar de pular. Não dava. Era o mínimo que eu podia fazer para um cavalheiro que estava ali, na minha frente. Durante um tempão esse show foi Hors Concours da minha vida, porque, francamente, Paul McCartney ao vivo. Até que.


1. Foo Fighters no Maracanã (2015)



Existe algo sobre mim que vocês precisam saber: eu fico obcecada com uma banda por um tempo, escuto os mesmos cds centenas de vezes por uns três, quatro anos e depois abuso e nunca mais escuto nada. Em 2005 (!!!!!), um colega de sala me emprestou o cd In Your Honor. 10 anos depois, cá estou eu, ainda amando Foo Fighters.

Quando eu descobri que eles iam fazer um show no Rio, no Maracanã, comprei o ingresso imediatamente, sem antes ter o bom e velho ataque de pânico. Comprei esse ingresso antes mesmo de me mudar, achando tudo tão longe. E então, sem mais nem menos, o dia chegou: e eu estava indo ver o Foo Fighters ao vivo. A banda da minha vida. Ao vivo. Não dá pra falar de mim sendo adolescente e não falar dos meus banhos demorados ouvindo "No Way Back", gritando no banheiro, e sonhando com o dia que eu ia ver um show deles. Mas aos 15 anos morando em Fortaleza, eu NUNCA tinha pensado na possibilidade real disso acontecer. Tipo, nunca. Ever. Jamais. É uma coisa tão profunda que não consigo me dissociar desse cd, não tem como não me imaginar colocando o all-star para ir pra escola sem ter essas músicas ao fundo. Eu acho que nunca agradeci ao menino que me emprestou o cd direito, mas olha, muito obrigada por ter feito isso por mim.

Muda tudo, em 2015 estou aqui no Rio de Janeiro, indo de metrô assistir o Foo Fighters. Sentando na cadeira para assistir Foo Fighters. Quando o Dave Grohl subiu no palco, perdi tudo que um dia tive de dignidade, e SOLUCEI de chorar. Chorei tanto, tanto, cantando. Gritei até, literalmente, perder a voz. Ouvir "Big Me", acústico, como sempre amei, vendo toda aquelas luzinhas piscando, despedaçou meu coração. "The Pretender", "All My Life", "Best of You": achei que podia gritar mais que o Dave, e gritei até sentir minha garganta virar do avesso. Mas foi quando ele cantou a minha música favorita da vida inteira, "Times Like These", meio acústico, que eu oficialmente vim a óbito.

Porque uma coisa é você ver um show. Outra coisa é você achar que sua vida anda tão errada, tão fora de prumo, e de repente perceber que você está ali, com 25 anos, no exato lugar onde você de 15 tinha imaginado. Não vi um show do Foo Fighters no Maracanã: realizei um sonho, e deixei a Gabriela tranquila, porque pode ser que ela esteja errando bastante, mas ela tem feito algo de muito certo nessa vida.
  1. Eu tô mau humorada, sabe? E quando eu tô mau humorada eu quero rosnar para o mundo. Aí que quando eu vi que cê tinha inaugurado layout novo e postado, pensei que ia ler (porque amo) mas não ia mimar s-ó-d-e-b-i-r-a. Pensei: "esse povo que fica 198123 anos sem blogar e sem mimar e depois aparece? só vou mimar se ela me mimar". #rancorosa
    Mas aí li o post e achei lindo e CA ESTOU, mimando, porque né, me dobro dodinha prA Gente.
    AMO relato de show, amo amo amo e nunca conseguirei deixar de falar que amo porque acho que são tão apaixonados e viscerais. Fico chateada de ter perdido um show com A Gente, mas é que eu não conheço nem meia música dessa banda e PASSAGEM E INGRESSO pra um trem que eu não conheço só se eu tivesse dinheiro sobrando, o que infelizmente não é o caso. Sonho com o dia que Taytay vai baixar no Brasil, porque ela é nossa unanimidade e poderemos pular todas felizes (depois de educarmos DD pra amar com a gente).
    Amo você <3

    ResponderExcluir
  2. Só coisa maravilhosa voce foi ne??
    Nunca fui nesses mas adoraria ir :)

    www.chaeamor.com

    ResponderExcluir
  3. Amiga, eu li esse texto ontem, assim que você contou que tinha não só post novo, mas esse layout novo babado sendo inaugurado, só pensei: quero. Só que no meio do caminho você falou de Los Hermanos e, por mais que eu só conheça as músicas do álbum deles de 99 (!!!!!), eu me joguei no Spotify e fui curtir uma depressão marota porque uma música que diz "a lágrima que escorre do meu peito é de direito pois eu sei que tens um outro alguém; mas peço pra quem um dia, se pensares em trazer-me seus olhares, faça porque tem convém" só pode me fazer entrar em depressão por algo que nunca vivi.

    Enfim, eu não fui em nenhum dos shows que você citou, mas me arrependi bem muito de não ter ido no Paul porque né, Paul. Tentei ignorar, fingir não me importar, mas não posso mais fingir: me arrependi. Espero que o universo me perdoe pela falha e me dê outra oportunidade, porque só sei que: preciso.

    beijo, amô <3

    P.S: Educar DD, partiu.

    ResponderExcluir
  4. Couthinha desses que você citou o único que eu queria muito ter ido foi no show do Paul. Além das músicas serem incríveis, acho que ele é o velhinho mais simpático da face da terra! Vi o show pela TV e dava emoção de ver. Muita vontade mesmo de estar lá!

    E eu, que nem conheço Arctic Monkeys, fiquei com vontade de ter ido no show com vcs! Deve ter sido mágico!

    Beijos amada

    P.S. Não estou no seu Blogroll! :-(

    ResponderExcluir
  5. sabe que eu até já tive época em que tinha vontade de ir em algum show super foda de alguma banda super foda que eu achasse ainda mais foda. risos. só que eu sempre ia deixando pra depois meio que sem dinheiro e mil desculpas. aí surgiu a oportunidade de eu ir no show que eu considero o mais foda ever por motivos tão meus e tipo era véspera do meu niver porém, blé, não fui porque resolvi fazer a adulta e tinha aluguel pra pagar sendo que eu gastaria fortunas pra ir no show. results: peguei raivinha e desanimei total de ir em shows :~ #xatiadíssima

    queria ter essa vibe toda e chorar sangue de alegria em shows amados assim igual tu :~ HAHA

    ResponderExcluir
  6. AMIGA EU TÔ CHORANDO???
    você me arrepiou muito com esse final, já virei fã do Foo Fighters desde criancinha, tô junto com você amarrando o All Star e chorando aqui, pode? hahahaha Eu também amo muito histórias de shows, todas elas, porque também é uma coisa muito importante na minha vida e mesmo que eu não seja tão fã da banda quanto quem escreve, mesmo que eu nem conheça a referida, eu sei como é realizar esse tipo de sonho, chorar, morrer, acordar mentalmente grávida do vocalista, ENFIM. É sempre bem mágico.

    Amei muito o show que vimos juntas, queria voltar naquela noite pra ficar com cara de bosta sentada no chão do The Hives, e depois xingar a menina que batia o cabelo na minha cara, e depois gritar que o Alex é gostoso demais, pular Fluorescent Adolescent sem precisar fazer força, só movida pelas pessoas, quase cair no chão com R U Mine, morrer morrer morrer de amor. Precisamos viver isso juntas de novo <3

    te amo!

    ResponderExcluir
  7. Guria, que demais! Fiquei numa pilha por ti no show do Foo Fighters. Eu não fui porque é uma banda que eu só curto, mas não piro muito (e porque, principalmente, o ingresso tava caro e eu tava sem dinheiro. Risos), mas alguns amigos meus foram e curtiram muito o show que foi ~grandão~ né? Não foram no Maracanã, mas foram.

    O show do AM eu me remoo por ter perdido, mas de novo estava sem dinheiro (os dois shows eu "perdi" porque foquei meus $$$ numa viagem), mas vou na fé que um dia eu vejo ao vivo.

    Eu tenho uma história meio parecida com a tua. Em 2012 fui no show do Los Hermanos e fui mais pra acompanhar do que realmente curtir. Eu conhecia as conhecidonas, e passei um tempão só absorvendo o momento. O problema foi que eu VICIEI depois do show. Escutei tanto, mas tanto, que quando eles anunciaram o show de Porto Alegre esse ano eu ~perdi minhas merdas~. Quando abriram as vendas eu entrei em modo loko sofrida porque não conseguia comprar. Quando recebi o e-mail de confirmação meu coração se encheu de amor. E eu já prevejo lágrimas se ouvir O Velho e o Moço ao vivo. #prioridades

    E olha, eu também fiquei surpreendida pelo show do BEP estar aí. Mas pelo jeito foi algo mesmo, hein?

    Agora a real mesmo, nesse post tudo, o que me deixou mais na pilha foi essa fonte maravilhosa que tu usou pra escrever nas fotos. Se essa é tua letra, PLMDDS faz upload no Dafont porque eu já: KERO. Lindona.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Ai, que descrição linda do show do foo fighters!
    Entendo muito esse sentimento e compartilho dessa sensação de "tá tudo torto, mas nesse momento tá tudo exatamente como deveria estar".
    Em 2012, um ano bem agitado pra mim, viajei pra SP pra vê-los no Lolla e tudo que senti foi isso. Em janeiro me senti muito sortuda de poder ver os caras de novo (e, dessa vez, a passagem ser só a do metrô). Gritei, pulei, chorei, levei olhadas tortas da galera do lado e saí de lá já querendo outro (e ansiando pelo show do los hermanos em outubro <3).

    Bjs!

    ResponderExcluir


25 anos. Mora no Rio de Janeiro, é carioca de alma, mas cearense de coração. É designer e está tentando se encontrar nesse mundo. Sou casada com meu melhor amigo, o Marcelo Bernardo, e mãe da Dindi the Boston.

Gosto de ler, de dormir de rede, de inspirações repentinas e de petit gateau. Mas o mundo seria muito melhor sem aliche gente que fura fila. Ah, e de vez em quando eu desenho.

Autora


Welcome

Tecnologia do Blogger.

Procura algo?






Esse blog está vestido com as roupas e as armas de Jorge, porque ninguém há de copiar esses textos e ilustrações sem dar o devido crédito.