5 Coisas que Não dou a Mínima (25/31)


Essa é uma tag criada no GWS, que nós, em tempos de BEDA e inventar material para postar, resolvemos adaptar. Eu queria ser aquela pessoa que não enrola duas vidas para iniciar um post, e sempre faz introduções gigantescas, mas quem eu quero enganar? Se eu não me enrolasse o tempo inteiro, não seria eu. Entretanto, escrevendo essa lista, não saiu nada além de coisas terríveis, e o pior, sobre a minha constante incapacidade de manter conversas com as pessoas.

Durante algum tempo, algumas alunas de MB resolveram montar um fã-clube para mim. Calma, coitadas, eu não-não dava a mínima para elas, muito pelo contrário. Achava fofo, e peculiar, mas sempre ficava pensando: por que essas pessoas acham que eu sou legal, quando eu claramente não sou? Um mês de BEDA e vocês aí, finalmente, descobrindo a pessoa que eu na verdade sou.




Mas, tentando ir, de certa forma, direto ao assunto, vamos lá.

1. Carros

Preferia ser rica e ir de taxi
Esse é um item peculiar devido à minha origem: eu sou da terra em que, se você não tem um carrão, você não é ninguém. Coitados dos meus futuros ex-pretendentes que pensaram que iriam me impressionar com carros: eu não conheço, literalmente, nenhum carro, a não ser o da minha mãe. Fim. Não adianta. Não sei os últimos modelos e muito menos os primeiros, e acho mais fácil decorar a placa do que o carro.

MB tinha um carro, e até hoje eu não sei se era um Palio, ou um Siena, um Punto, enfim, aos meus olhos, era apenas um carro prateado, com a placa que começava com um suspiro: anf. O carro do meu pai é uma caminhonete, prateada, com um adesivo de escudo do botafogo. E por aí vai, vou seguindo a vida feliz sem me importar com isso.

2. ~Cultura~ cearense

Tenho outras metas para alcançar

Esse item está relacionado com o outro tópico, que é um item meio difícil de falar. Eu não me importo com carro. Eu não me importo, mesmo, com som de carro (aliás, eu odeio). Eu não me importo mesmo em ir para uma festa só porque todo mundo vai e eu não gosto nem um pouco do som que vai tocar lá (forró). Eu não poderia me importar MENOS com o fato de que você coloca uma garrafa de Red Label no meio da sua mesa para atrair as gatinhas (e elas vão). Eu não me importo em ser loira e sarada e ir de salto alto perfumada para o salão toda semana. É um estereótipo? Sim, mas infelizmente, é o caso de muita gente que eu conheço e antes convivia. Não consigo me enquadrar nesse estilo de vida em que se preza o dinheiro pelo dinheiro, então posso dizer que não ligo, mesmo, para isso. Assim, tipo, mesmo.

3. Minions

Prefiro unicórnios, sempre

Já falei que odeio Minions quantas vezes? Assisti o primeiro filme e consigo citar até propagandas de xampu que são melhores. Não ligo para os minions, para os objetos em forma de minions, e por aí vai.

4. Gente que mente

hm, sei, humrum
Eu tenho um feeling muito bom para pegar mentira. Eu sinto o cheiro de bullshit no ar, e fico logo com uma expressão tão profundamente descrente olhando para a pessoa, meio que desafiando ela a continuar com aquela baboseira que nós bem sabemos que é mentira, que eu claramente não poderia jogar poker (além do quê, não sei jogar baralho, risos).

Gente que vem contar história criando vantagens onde não existe, planos megalomaníacos, coisas incríveis que eu fiz, histórias cabeludíssimas: essas pessoas, invariavelmente, vão ficar falando sozinhas, porque eu não tenho a menor paciência. Humrum, você viajou sim e conheceu o Jake Gylenhaal e você ficou amigo dele, claro, óbvio. Agora deixa eu olhar aqui rapidão um instagram de Boston Terrier enquanto você fala só, licencinha.

5. Gente que insinua

hehehhehe
A pessoa quer que eu faça uma coisa para ela. Mas, no lugar de pedir, ela chega do meu lado, dá um longo suspiro, e diz: ah, queria tanto que alguém me ajudasse com isso. Desculpa, fazendo isso, você acabou de assinar o seu atestado de óbito de interesse da minha parte, porque eu além de não me oferecer para fazer o que você quer, eu provavelmente vou passar a te ignorar sempre que possível. Eu sei que sou uma pessoa terrível, mas gente, é que não dá. Sabe aquelas pessoas que você joga todos os verdes e ela não colhe nada? Meu bem, eu estou deixando deliberadamente esses verdes aqui no chão.

Então, quer que eu ligue? Me pergunte, fale as coisas diretamente, assim, por a+b=c, por aí. Senão vou fazer que nem os minions: olhar fixamente para as minhas unhas e problematizar quando eu deveria fazê-las, até que eles desapareçam.


  1. HAHAHAHAHAHAHAHA Ai, meu amor. Nem sei o que te dizer, porque ainda to aqui rolando de rir do item quatro, me desculpa.

    Que bom que você não liga pra carro também, vamos ali ficar ricas e só andar de táxi juntas. Também não conheço nadinha de carro. Muito mal eu conheço o que os meus pais têm (ou conhecia, porque eu não faço ideia do nome que o meu pai tem agora), também decoro tudo pela placa, e é muito mais lógico, poque carro do mesmo modelo tem às pencas, placa é única.

    E você é carioca, miga, não tem jeito.

    Te amo demais da conta <3

    ResponderExcluir
  2. Amiga, socorro, que pessoa maravilhosa você (ou será que eu que sou horrível também? fodac)
    Também dou zero importância pra carros, cago baldes pra essa cultura que, acredite, não é só cearense, Minions ARRRRRGHHHH não vou nem comentar e né, qual a dificuldade das pessoas chegarem "ow, será que você pode me ajudar?". Insinuação só vai me fazer querer passar longe.
    Agora, essa 4. Amiga, esse item 4. HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA. Sem or, isso é muito eu. E, aliás, esse item me fez lembrar de uma prima de segundo grau que eu tenho que é MESTRA em contar vantagem e eu fico sempre com a cara daquele gato preto lixando as unhas, enquanto ela diz que ficou bff do Neymar, que está trabalhando na Sony e que namorou um cantor qualquer que de tão interessante, já até esqueci o nome.

    te amo <3

    ResponderExcluir
  3. Esses gifs de pug fizeram meu dia, HAHAHA.
    Como comentei lá no blog da Anna Vitória, tenho vontade dirigir e gosto da ideia de ter um carro, mas acho completamente doentia essa relação de adoração que as pessoas tem com essas latas consumidoras de petróleo. E nem preciso comentar sobre essa cultura boring do dinheiro pelo dinheiro, né? Desde que eu tinha 10 anos eu já achava isso ridículo. Me amo.
    BICHAMOS NO ITEM DOS MINIONS, AFF <333333333
    Eu amo deixar alguém se insinuar até cansar enquanto eu assisto, HAHAHA. Minha irmã é CAMPEÃ de insinuar e eu fico só observando enquanto ela tenta se fazer pra cima da minha mãe e milagrosamente a minha mãe resolve cagar baldes também, kkkk.

    Te amo! <3

    ResponderExcluir
  4. OS PUGS
    HAHAHAHAHAHAHAHAHA
    Ai amiga, você <3

    Então, como já conversamos, a impressão que tenho é que Uberlândia é uma sucursal de Fortaleza no Sudeste. Esse estereótipo é bem real, as ambições das pessoas, esse tipo de coisa. Felizmente não sou tão afetada por isso porque acabei me isolando ao me cercar de gente que também caga baldes, mas sempre que tenho um choque de realidade com a sociedade uberlandense fico me sentindo um alien. Não esqueço de um dia na época que eu trabalhava na simulação de RI que uma menina disse que só poderia trabalhar dia tal se mandassem um carro pra buscar ela na faculdade e levar pro evento, ou então custear o táxi, porque a mãe dela não podia buscar. Eu virei e disse: 'amiga, cê sabe que tem ônibus que sai da porta da universidade e para aqui na esquina, né?" ela respondeu: "olha minha cara de quem anda de ônibus". E sabe o que é pior? Mudaram a data pra ela.

    Agora insinuações, gente. INSINUAÇÕES. Eu odeio TAAAAAAAAAAANNNNTOOOOOOO gente que faz isso. Pede, pelo amor de Deus. Até porque eu sou idiota e não sei dizer não pros outros, mas tenho 0 piedade de quem fica jogando verde. Minha vó, tadinha, faz isso demais. Sempre que ela vem aqui em casa ela fica falando as coisas que quer em voz alta até alguém se oferecer pra fazer. "Nossa, tá na hora do café, queria comer um pão novo................. pena que não tem aqui....................... ai mas minhas pernas tão doendo pra ir lá...................." enfim, típico. Pra vovó eu até vou, mas pros outros eu finjo que não é comigo.
    beijos
    te amo!

    ResponderExcluir
  5. UAHUAHAUHAHAUHAUH morri com esses gifs socorro
    cara, não dou a minima pra carro também. NEM PRA MINIONS (nossa, me abraça)

    www.pe-dri-nha.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. HHAHAHAAHAHAHA amiga esses gifs, morri <3

    Não ligo para carros também e meu sonho é ser rica e ir de táxi sempre (ou ter um motorista, né?). Tenho medo, não confio nos outros e o trânsito é um absurdo, não vale a pena.
    Eu gosto de Minions, mas isso tu já sabe e continuamos nos amando, vida que segue. Hahahaah <3
    Gente que mente: amiga, me abraça. Às vezes eu fico chocada olhando todos ao redor super "meu deus, sério que você conheceu o Jake Gylenhaal, que diveerr" e acreditando nas histórias enquanto eu estou apenas "ai ta bom então". Que horror.
    Pessoas que insinuam coisas sem pedir de fato tendem a se acharem coitadinhas e é para isso que eu não dou a mínima. Mas eu lembro muito bem de uma insinuada que dei com o "lembrei que você desenha, né amiga?" no Rio pra tu desenhar meu vestido, e por isso peço desculpas, mas sei que nosso amor ta intacto. Hahaha (e o desenho foi incrível)
    Te amo! <3

    ResponderExcluir
  7. primeiro e último itens, acho que eu não teria como me identificar mais. até fiquei aflita uma vez que precisei fazer uma denúncia de tentativa de roubo (bad vibes total) e o omi da polícia perguntando: - tá moça mas qual o carro? e eu tipo: - moço eu não tenho a menor ideia, só sei que é prata. vemk logo pelamorrr! graças ele sentiu meu desespero e desistiu de me fazer falar que diabos de carro era.

    ResponderExcluir
  8. Rindo demais com os gifs!
    Como primeiro e o segundo itens eu me identifiquei DEMAIS. Meu conhecimento de carros já é pequeno e agora a indústria automobilística ainda pegou uma mania insuportável de nomear os carros não com nomes de verdade, mas sim com siglas. Danou-se, não sei mais nada e quando numa rodinha começa esse assunto eu vou dar uma olhada no Instagram mesmo.
    A ~cultura cearense~ é meio paranaense e paulista também, a diferença é que aqui vai tocar arrocha e sertanejo... OUCH!
    Beijo

    ResponderExcluir
  9. HAHAHAHAHAHAHAHAHAH Assim, eu não ligo pra carros de um modo que eu queira ter um no momento, porque não quero, nem sei dirigir, prefiro carona e buzão. Mas meus amigos acham que eu sou maria gasolina porque um dia, num jogo, eu consegui acertar o nome de todos os carros que tavam lá. E cara, sei lá, eu ando na rua e vejo os nomes, OQ FAZER? Sorry.

    Minions = prefiro as meninas do Despicable Me mermo. ♥♥♥

    Gente que mente = preguiça. E pode ter certeza que a cultura ~cearense~ tá mais pra cultura brasileira. Aqui na minha cidade é assim também.

    Agora sobre insinuações, o que falar sobre? Eu insinuo as coisas às vezes. AHUUHAHAUHAU Juro que não é por mal, mas eu odeio pedir ajuda, parece que as pessoas fazem obrigadas porque não conseguiram dizer não e não porque querem, sabe? Aí jogo verde, se a pessoa quer fazer, fazemos. Senão não vou insistir. Mas nas coisas ~básicas~, porque quando é algo mais sério eu peço mesmo.

    Beijos!

    ResponderExcluir


25 anos. Mora no Rio de Janeiro, é carioca de alma, mas cearense de coração. É designer e está tentando se encontrar nesse mundo. Sou casada com meu melhor amigo, o Marcelo Bernardo, e mãe da Dindi the Boston.

Gosto de ler, de dormir de rede, de inspirações repentinas e de petit gateau. Mas o mundo seria muito melhor sem aliche gente que fura fila. Ah, e de vez em quando eu desenho.

Autora


Welcome

Tecnologia do Blogger.

Procura algo?

Arquivo do blog






Esse blog está vestido com as roupas e as armas de Jorge, porque ninguém há de copiar esses textos e ilustrações sem dar o devido crédito.