Enquanto não somos velhos ainda (11/31)

Acabamos de voltar do cinema, e fomos assistir "Enquanto Somos Jovens", de um filme sobre um casal chegando na meia idade que fica amigo de um casal hispter de 25 anos. Em dado momento, o Ben Stiller olha para a esposa e diz algo como: eu gostava de ficar perto dele, porque ele me fazia sentir como um adulto de verdade, e não uma criança brincando de ser adulta.



Se o Ben Stiller olha para você e diz que é uma criança fingindo ser adulta, porque na vida real ninguém sabe mesmo o que está fazendo, como é que você deveria se sentir? Quando é que tudo que eu faço vai começar a ter algum sentido?

O filme, que parecia ser simplesmente sobre amizades não terem idade, e sobre o fato de todos sermos eternos jovens, na verdade também acaba falando muito sobre ambição. Sobre aquela eterna insatisfação da nossa geração, que acompanha o facebook e instagram dos outros e vê aquela vida perfeita, aquela grama super bem cuidada, enquanto você tá aqui de pijama duas da tarde almoçando MM's. Sim, os seus amigos estão mais uma vez na Europa. Sim, aquela pessoa que você admirava, mas que no fundo você achava que nem era tão boa assim, está naquele emprego dos sonhos. Sim, as pessoas estão cada vez mais magras, cada vez mais ricas, sem fazer nenhum esforço.

Sabe aquela pessoa que você vê no topo, e ela parece tão descontraída, tão feliz, que você sente aquele gosto amargo na boca e se pergunta por que ele consegue tudo tão fácil? Só que não é bem assim, não é verdade?

A vida não é assim. Às vezes temos dias bons, às vezes temos dias péssimos. Às vezes conseguimos pequenas vitórias, que editamos muito bem editado no pictapgo e colocamos no Instagram dizendo que foram vitórias enormes. Às vezes a gente rala muito, muito mesmo, mas finge que tá tudo fácil, tá tudo beleza. Às vezes a gente foi no restaurante tem três meses e encontra uma foto que não postou, e finge que tá super bem, indo em restaurante caro todo santo dia. Queria muito viver num mundo em que a gente não precisasse fingir o tempo todo.

Esse é você, e esse é o mundo te recebendo na vida adulta

Queria que a gente pudesse compartilhar as nossas pequenas e grandes vitórias sem se preocupar com o que os outros vão pensar. Quer saber? Sábado eu estava andando na rua e achei 35 reais no chão. Achei que fosse morrer de tanta felicidade na hora de comer um sorvete e ficar repetindo: obrigada a quem perdeu esse dinheiro, sinto muito por você, estou tomando esse sorvete em sua homenagem. E tive uma crise de riso com o melhor amigo e o marido, porque eles encheram tanto o saco da atendente para dar sorvete de graça que até ela começou a rir daquela palhaçada toda, à meia noite e meia, fazendo um frio desgraçado e inesperado nesse Rio de Janeiro.

Em 2012 eu me uni ao coro que dizia que eu não quero vencer na vida. E em 2015 eu só quero viver, mesmo. 

  1. Eu acho que digo isso com uma frequência absurda, mas o que posso fazer quando tenho as melhores pessoas do mundo do meu lado? Porque sério, eu me senti TÃO abraçada por esse post. Esse filme nem estreou aqui, mas é bem provável que eu ignorasse porque sou esse tipo de pessoa podre mesmo. Mas aí vem você com esse post, diz uma porção de coisas que eu penso o tempo inteiro e sei lá? Se for pra me inspirar desse jeito, já quero ver esse filme pra ontem.

    amo você <3

    ResponderExcluir
  2. Amiga, essa fase da vida já é complicada, né? Como a gente conversou super no grupo esses dias, a maioria de nós acha que não sabe fazer nada e que é uma grande fraude fingindo ser adulto. Mas aí quando me dá esses desesperos eu lembro do Neil Gaiman falando que não existem adultos no mundo, nenhunzinho, e que só tem gente que finge melhor. Né?
    E tudo fica potencializado nessa "era do espetáculo" em que vivemos, de olhar a grama do vizinho sempre ali, tão maravilhosa. Mas é o que a gente tem, né? Vontade de mostrar pro mundo os momentos em que "o jogo vira não é mesmo?", tipo A Gente naquele casamento. Aposto que muita gente ficou babando e querendo ser uma de nós. E eu se fosse eles teria tido vontade mesmo, porque A Gente <3333

    Te amo!

    ResponderExcluir
  3. Esse gif do mundo recebendo a gente na vida adulta, o melhor.
    Cada dia que passa fico mais desesperada com esse atropelamento de responsabilidades e de metas a alcançar.
    Preciso ver esse filme.

    ResponderExcluir
  4. Amiga,
    Seu texto veio a calhar. Outro dia eu estava pensando justamente nisso, no quanto as pessoas fingem o tempo inteiro, principalmente nas redes sociais. Ninguém é infeliz nas redes sociais, no facebook tá todo mundo bem o tempo inteiro. Mas Jout Jout já fez um vídeo dizendo que tá todo mundo mal, ainda que em um pedacinho da vida. Faz parte. Nem todo mundo é feliz o tempo inteiro — isso não é saúde mental, é porcaria (#ensinamentos que Grey's Anatomy nos traz).

    Mas ainda bem que, entre nós, não precisamos fingir nunca <3

    Amo você! Beijo

    ResponderExcluir
  5. que texto ótimo! Às vezes eu entro nessa neura de achar que tá todo mundo melhor que eu, que eu nunca serei adulta, que é tudo uma farsa e eu ainda por dentro sou uma adolescente sem noção etc. Esse gif define, simplesmente. Mas no fim td mundo deve se sentir assim vez ou outra... é que todo o mundo parece te obrigar a ser lindo rico inteligente u_u complicado.
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. A vida é assim mesmo, né? E eu sinto que as pessoas tem uma tendência de pintar uma vida muito boa, muito fácil, muito leve na internet, e às vezes quando você conhece elas elas são o contrário daquilo que pintam. Eu amo registros, eu sou totalmente a favor, e eu não tenho nada contra postar fotos. Mas eu conheço tanta gente que é uma bagunça e às vezes até uma pessoa ruim, mas que na internet faz de tudo pra parecer a melhor pessoa do mundo. Isso tá errado.

    E o gif, hahahahaha, somos todos aquele gif, né?

    Beijos!

    ResponderExcluir
  7. a vida já é treta quando vão surgindo as responsabilidades. imagina ficar só pensando nisso, só comparando com a dos outros? corpitcho não guenta e de vez em quando ~só viver faz beeeeem ♥

    ResponderExcluir
  8. Às vezes pra não enlouquecer simplesmente ligo o modo automático e vâmo seguindo. Não que a realidade seja ruim, mas não saber direito o que tô fazendo ou ter certeza do caminho pela frente assusta e aí começa uma paranoia absurda! Eu não sei como devo me sentir sabendo que isso acontece com todo mundo, eu fico feliz pq estamos todos no mesmo barco, mas parece algo egoísta demais. BTW, fiquei com vontade de assistir esse filme.

    ResponderExcluir
  9. Amiga, eu penso nessas coisas o tempo todo. Eu gosto muito da minha vida, mas ainda assim as redes sociais sempre me fazem achar que todo mundo está muito melhor que eu. Também queri viver em um mundo onde a gente não precisasse fingir nem esfregar na cara dos outros como estamos tão felizes o tempo todo e temos tudo na vida. Ninguém tem tudo na vida e ninguém é feliz o tempo todo.

    Fiquei com vontade de ver esse filme, e nunca nem tinha ouvido falar nele.

    Te amo.

    ResponderExcluir


25 anos. Mora no Rio de Janeiro, é carioca de alma, mas cearense de coração. É designer e está tentando se encontrar nesse mundo. Sou casada com meu melhor amigo, o Marcelo Bernardo, e mãe da Dindi the Boston.

Gosto de ler, de dormir de rede, de inspirações repentinas e de petit gateau. Mas o mundo seria muito melhor sem aliche gente que fura fila. Ah, e de vez em quando eu desenho.

Autora


Welcome

Tecnologia do Blogger.

Procura algo?

Arquivo do blog






Esse blog está vestido com as roupas e as armas de Jorge, porque ninguém há de copiar esses textos e ilustrações sem dar o devido crédito.